Curitiba iniciou nesta terça-feira (18) a vacinação contra a covid-19 das crianças de 9 a 11 anos com comorbidades e deficiência. O prefeito Rafael Greca, o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, e a secretária interina da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Beatriz Battistella Nadas, acompanharam os primeiros curitibinhas  que receberam a vacina na Unidade de Saúde Mãe Curitibana.

“É uma imensa alegria poder imunizar os 165 mil curitibinhas, estou muito emocionado.  Estamos num grande esforço para nos livrar dessa pandemia pela inteligência do povo. Vacina é vida e, vida para as crianças é o patrimônio mais valioso para uma cidade”, disse o prefeito Rafael Greca. 

+ Leia mais: Três dos cinco reservatórios de Curitiba atingem 80% da capacidade. É o fim do rodízio?

Na segunda-feira (17) as equipes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) vacinaram 71 crianças acamadas, indígenas, e institucionalizadas (que moram em lares e abrigos). O primeiro dia da vacinação aconteceu extramuros, os vacinadores foram até os locais onde as crianças estão.

O secretário estadual de Saúde do Paraná, Beto Preto ressaltou durante a visita a importância dessa fase da vacinação e falou sobre a chegada de um novo lote de imunizantes pediátricos.

“Os curitibinhas que o prefeito fala, formam o maior contingente de crianças a serem vacinadas no estado, nós depositamos que essa vacina vai ter um efeito fantástico e vai viabilizar uma retomada do cotidiano mais próximo da normalidade”, falou.

O secretário também confirmou a chegada de mais 65 mil doses de imunizantes pediátricos no estado na madrugada desta terça, e que deverão ser distribuídos aos municípios ainda nesta terça-feira (18/1).

Com as novas doses a SMS amplia a faixa etária e convoca para receber a vacina na próxima quarta-feira (19) as crianças de 5 a 8 anos com comorbidades ou deficiência permanente.

“Ficamos muito felizes em poder avançar mais um pouco nessa campanha e convocar mais um grupo para receber a primeira dose da esperança”, comemorou a secretária interina, Beatriz Battistella Nadas.

+ Veja também: Após disparada dos preços de exames de covid-19, Procon-PR emite recomendações às farmácias e laboratórios

A convocação das crianças sem comorbidades depende da avaliação de estoque e da chegada de mais imunizantes pediátricos.

Prefeito Rafael Greca acompanha a vacinação contra a covid-19 em crianças, na Unidade de Saúde Mãe Curitibana. Na imagem, o prefeito com o menino Gabriel. Curitiba, 18/01/2022. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Entre lágrimas e sorrisos

Alguns até choram, mas depois sorriem com olhos e comemoram a dose recebida. Nas cadeiras da espera estava Miguel Cini, de 11 anos, mãos agitadas com olhar ansioso ele confessou estar nervoso, mas se ofereceu para ser o vacinado simbólico. “Estou com um pouco de medo, mas estou disponível para ser fotografado e filmado”, falou o pequeno.

Acompanhado pela avó, a artista plástica, Heloísa Cini, ele participou do ato que simboliza o momento tão esperado de vacinação das crianças. O curitibinha Gabriel Vitor Rodrigues de 11 anos recomenda a vacina para os colegas, “foi tranquilo, bem rapidinho e nem doeu”, disse.

Ao saber da visita de Greca o pequeno pediu a família para aguardar, pois queria tirar uma foto com o prefeito. No portão da unidade, Gabriel foi o primeiro a receber Greca e garantir a foto.

+ Veja também: Surto de virose em Guaratuba é revelado após análise do Lacen. Saiba o que foi!

Para os familiares que acompanhavam as crianças para receber a primeira dose da vacina anticovid o momento era resumido em duas palavras: alívio e proteção.

“A gente fica mais tranquilo, em casa já estamos todos vacinados, inclusive com a segunda dose, agora é um alívio maior. A ansiedade era tanta que viemos no primeiro dia”, contou a empresária Tamara Marx, mãe do curitibinha Samuel Ramos Solano, de 10 anos.

A servidora pública Elaine Nascimento também aproveitou o primeiro dia da vacina para levar o filho Henrique Rocha de 10 anos. “Estou bem feliz que ele tomou a primeira dose e está parcialmente imunizado, estou bem mais  tranquila e peço ao pais que tragam seu filhos”, contou.

Pontos de vacinação

Além de treinar 180 profissionais da Saúde para imunizar os pequenos, a SMS separou 10 unidades de saúde exclusivas para receber os pequenos, seguindo orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária –  Anvisa. Confira os locais no site Imuniza Já Curitiba.

“Tragam as crianças para receber a imunização. Todos os curitibinhas serão acolhidos pelas equipes da Saúde, serão vacinados e viverão em beleza e alegria como nós desejamos”, reforçou Greca.

Prefeito Rafael Greca acompanha a vacinação contra a covid-19 em crianças, na Unidade de Saúde Mãe Curitibana. Curitiba, 18/01/2022. Foto: Pedro Ribas/SMCS

A vacina pediátrica

A vacina Pfizer pediátrica será aplicada nos curitibinhas em duas doses, com intervalo de oito semanas entre as aplicações – assim como nos adultos – para o esquema vacinal completo.

A vacina para crianças vem com algumas diferenças, o frasco tem cor diferente daquela aplicada em adultos, deverá ser laranja, estratégia adotada para ajudar os profissionais de saúde na hora de aplicar a vacina. 

A dosagem também é diferente, cada dose deverá ter 0,2ml. Além disso, a composição, o período de armazenamento, forma de diluição e os insumos são diferentes da vacina para adultos.

Orientação e documentos

Para todas as crianças é necessário o cadastro no Aplicativo Saúde Já, para que a vacina seja registrada no sistema eletrônico da SMS e na carteira vacinal da criança. O cadastro também agiliza o fluxo da vacinação nas Unidades de Saúde, e permite o registro imediato na carteira de vacinação e no sistema do Ministério da Saúde, além de estimar a data para a segunda dose.

No dia da vacinação é necessário que a criança esteja acompanhada de um familiar ou responsável para a assinatura do termo de consentimento.

Também devem ser apresentados um documento de identificação da criança, documento de identificação com foto, comprovante de residência em nome do responsável pela criança.

Crianças acamadas

As crianças de 5 a 11 anos acamadas em leitos atendidas pelo SUS Curitibano terão sua dose agendada a partir de um contato telefônico das equipes da SMS com os familiares. 

As atendidas pela rede privada devem fazer o cadastro, já disponível desde o dia 13 de janeiro, via Aplicativo Saúde Já Curitiba – é necessário atualizar a versão do aplicativo nas lojas virtuais para plataformas Android ou iOS – ou pelo site.

Após baixar a atualização nas lojas de aplicativos para Android ou iOS – ou pelo site https://saudeja.curitiba.pr.gov.br/ , escolhendo a opção “Paciente Acamado”.  

– Crianças com comorbidades

Crianças acompanhadas pela rede privada deverão apresentar declaração emitida pelo Portal do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR). A lista de comorbidades definida pelo Ministério da Saúde para prioridade na vacinação pode ser conferida aqui. Já as que são atendidas pelo SUS de Curitiba receberão mensagem de elegibilidade pelo Saúde Já.

– Deficiência permanente

Deve apresentar documento que comprove essa condição, como cartão-transporte da Urbs de isento para Pessoa com Deficiência Permanente (identificado com a letra “I” no canto superior direito); Identidade (RG) emitida a partir de 2019 com a indicação “Pessoa com Deficiência”; Declaração pelo médico que acompanha a criança, no modelo disponível a esses profissionais pelo site do CRM-PR, com a indicação da Deficiência Permanente.