Curitiba anunciou nesta sexta-feira (5) a abertura de 140 leitos para atendimento exclusivo de pacientes do SUS com covid-19. Divididos em 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 120 de atendimento clínico, a ala de internação fica no Hospital Vitória, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e foi criada, de acordo com prefeito Rafael Greca (DEM), por meio de uma parceria entre a prefeitura e a iniciativa privada, dispensando a necessidade de construir um hospital de campanha na capital, na atual fase da pandemia. A taxa de ocupação de leitos SUS para covid-19 é de 60% nesta sexta-feira.

LEIA MAIS Paraná tem recorde de 13 mortes e mais de 500 casos de covid-19 em um único dia

De acordo com a prefeitura, o acordo que permitirá a utilização até o dia 31 de dezembro de 2020, desta ala que estava fechada, foi firmado em um contrato de comodato com o UnitedHealth Group Brasil, dono da operadora Amil e do grupo médico-hospitalar Americas Serviços Médicos. A unidade, no entanto, não terá serviço de pronto-atendimento e receberá apenas pacientes encaminhados pela Central de Regulação de Leitos de Curitiba.

“Este hospital é uma mostra de que parcerias sólidas para o enfrentamento da covid-19 resultam em melhorias para a gestão da saúde pública de Curitiba”, disse o prefeito Rafael Greca.  “Em vez de termos que montar um hospital de campanha, poderemos contar com uma estrutura adequada já pronta”, completou a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

LEIA TAMBÉM – Academias de Curitiba têm volta lenta de alunos mesmo com ações preventivas da covid-19

Ao assumir o espaço, a prefeitura fica autorizada a utilizar as instalações para atender apenas os pacientes com novo coronavírus, arcando com o custeio de uso do local e dos profissionais de saúde. Quando os 140 leitos estiverem em funcionamento, 384 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos, fonoaudiólogos e auxiliares administrativos, atuarão no Hospital Vitória. Nesta primeira fase serão 192, que já foram contratados. 

Boletim epidemiológico 

Uma nova morte e 25 casos de novo coronavírus foram confirmados em Curitiba nesta sexta-feira (5). De acordo com Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 1.237 moradores da cidade testaram positivo para covid-19 e 54 faleceram em decorrência de complicações provocadas pela doença, desde o início da pandemia. A nova vítima da doença é uma mulher de 85 anos, que tinha hipertensão arterial e morreu na quinta-feira (4), após passar mais de 10 dias internada.

LEIA AINDA – Para os curitibanos, desemprego e perda de renda são as principais consequências da pandemia

Nesta sexta, a SMS também retificou a informação da morte de um idoso de 91 anos, que faleceu em um hospital de São Paulo (SP), divulgada no dia anterior. Conforme as autoridades de saúde, ele residia na capital paulista e apenas seu filho tinha endereço em Curitiba. Assim, sua morte passou a integrar os dados estatísticos da covid-19 da cidade de São Paulo.

Ainda conforme a atualização do boletim epidemiológico, 982 pessoas são consideradas recuperadas em Curitiba, pois não têm sintomas há mais de três dias e já foram liberadas do isolamento social. Na cidade, outras 274 suspeitas da doença ainda são investigadas e 2.205 casos já foram descartados.

BOLETIM SOBRE O CORONAVÍRUS ⚠

BOLETIM SOBRE O CORONAVÍRUS ⚠ Acompanhe ao vivo o boletim de informações sobre o coronavírus com a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak e a médica infectologista Marion Burger. Tradução em Libras por Sônia de Paula.

Posted by Prefeitura de Curitiba on Friday, June 5, 2020

Pacientes internados

Em Curitiba, há atualmente 59 pacientes internados com diagnóstico de covid-19, em hospitais públicos e privados. Entre eles, 25 estão hospitalizados em unidades de terapia intensiva (UTI) e quatro contam com a ajuda de ventiladores mecânicos para respirar. Além das 54 mortes confirmadas até agora, outras 310 foram descartadas e cinco ainda aguardam o resultado dos exames.

Gráficos mostram a evolução da covid-19

Coronavírus no Brasil