Em Curitiba, mais nove pessoas morreram e outras 474 testaram positivo para covid-19, como revela o boletim epidemiológico municipal divulgado nesta segunda-feira (14). Com a atualização dos dados da pandemia, o total de óbitos por novo coronavírus aumentou para 1.137 e o de casos confirmados, atingiu 38.810 na capital paranaense.

LEIA MAIS – Secretária de Saúde indica que aulas em Curitiba podem voltar antes da vacina de covid-19

Entre os habitantes da cidade que foram diagnosticados com o novo vírus, 4.717 seguem na fase ativa da doença, sendo capazes de transmitir o Sars-CoV-2. Número que vem crescendo nos últimos dias. No último domingo (13), Curitiba tinha 4.487 casos ativos, no sábado (12) eram 4.328 e na sexta-feira (11) 4.348.

LEIA TAMBÉM – Com vacinação infantil em baixa, Paraná prepara campanha pra imunizar mais crianças

Ainda segundo o informe da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 32.956 pessoas já venceram a covid-19, estão sem sintomas há mais de três dias e estão liberadas do isolamento social de 14 dias. Além delas, outros 679 pacientes que apresentam sintomas suspeitos da doença ainda aguardam os resultados dos exames.

Mais famílias de luto

Seis homens e três mulheres moradores de Curitiba, com idades que variavam entre 22 e 81 anos perderam suas vidas após serem infectados e enfrentarem complicações provocadas pelo coronavírus. Deste grupo, cinco pessoas faleceram nas últimas 48 horas e as outras quatro, entre os dias 27 de agosto e 9 de setembro.

90% das UTIs ocupadas

A taxa de ocupação nos 334 leitos de UTI exclusivos para covid-19 do Sistema Único de Saúde (SUS) é de 90% atualmente. Na última semana, foram desativados 15 leitos de UTI em Curitiba – cinco leitos pediátricos de UTI covid-19 no Hospital Pequeno Príncipe e dez leitos de adultos no Hospital de Clínicas.

VIU ESSA? Estudantes da UFPR fazem vaquinha pra ajudar pais de estudante de medicina que morreu

Segundo a prefeitura, há nesta segunda-feira, 35 leitos de UTI do SUS livres nos hospitais da capital, que podem receber pacientes com coronavírus ou com sintomas de síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

Coronavírus no Brasil