A secretária da Saúde Márcia Huçulak afirmou que Curitiba tem potencial para vacinar até 30 mil pessoas por dia, podendo assim imunizar com a primeira dose toda a população acima de 18 anos em um mês, considerando um plano de imunização de domingo a domingo.

Em entrevista ao jornal Meio Dia Paraná, a secretária reforçou novamente o pedido do prefeito Rafael Greca, para que o governo do Estado faça a reparação do repasse de doses da vacina da covid-19. Segundo levantamento da prefeitura, Curitiba tem recebido quantidade de doses desproporcionais em relação a população – quando comparado com outros municípios paranaenses.

LEIA TAMBÉM:

>> Greca pede correção em repasse desproporcional de vacinas para Curitiba

>> Calendário de vacinação contra covid-19 no Paraná é divulgado; veja seu lugar na fila

“Somos a maior entre as cidades do Sul do Brasil e não queremos tirar de ninguém. O justo é justo, queremos avançar. Hoje podemos vacinar 30 mil pessoas por dia. É preciso ter doses para isso, faltam vacinas. Nenhum município comprou vacina, já que os laboratórios tem contratos com os governos federais”. revelou.

Com a atual quantidade de vacinas recebidas desde 20 de janeiro, início da campanha de vacinação, Curitiba conseguiu imunizar com a primeira dose 650.472 pessoas – pouco mais de um terço do público-alvo (população até 18 anos).

Outro fator que dificulta acelerar a imunização é a quantidade de grupos prioritários inseridos nos planos Nacional e Estadual de Vacinação Contra a Covid-19, e que precisam ser atendidos pelo município, responsável por colocar o plano em prática.

Atualmente, Curitiba tem mais de dez grupos prioritários com cronograma de vacina aberto. As doses entregues pelo Governo do Estado vêm “carimbadas”, ou seja, com as quantidades já definidas para cada um desses grupos.

“Se pudéssemos vacinar a população apenas por critério de idade, como fizeram países como Inglaterra e Israel, por exemplo, seria muito mais rápido, menos burocrático e atenderíamos a população indistintamente de categorias”, avalia Márcia Huçulak, secretária municipal de Saúde de Curitiba.

Estoque de doses em Curitiba

Nesta quinta-feira (17), Curitiba abriu as salas de vacinação contra a covid-19 com um estoque de 41.758 doses para a primeira aplicação, já descontado as perdas eventuais que ocorrem no processo de aplicação, que hoje é de cerca de 1,9%, índice bem abaixo dos 5% previstos pelo Plano Nacional de Imunização.

O público estimado até o fim da semana é de 43.012 pessoas dos seguintes grupos agendados ou com doses já definidas para atendimento:

Forças de segurança – 4.200 doses
Educação Superior – 14.132 doses
Educação básica – 2.500 doses
Trabalhadores da limpeza – 3.200 doses
Gestantes, puérperas e comorbidades – 5.000 doses (média de 1.800/dia)
Trabalhadores de saúde – 12.900 doses (agendados pelo aplicativo Saúde Já)
Pessoas privadas de liberdade – 1.080

Além desses grupos, Curitiba segue atendendo a população com 53 anos completos e mais que ainda não tomaram a primeira dose.