A partir desta quinta-feira (8), vai passar a vigorar a bandeira amarela de alerta ao novo coronavírus em Curitiba. O anúncio foi feito pelo prefeito Rafael Greca nesta quarta-feira (7) e comentado em entrevista coletiva pela secretária de saúde Márcia Huçulak.

LEIA TAMBÉM:

>> Curitiba decreta bandeira amarela e abre cinemas, teatros e eventos culturais

>> Cirurgias eletivas estão liberadas em todo o Paraná a partir do dia 12 de julho

Apesar da liberação de bares, teatros, cinemas e outras atividades culturais, a secretária enfatizou que as medidas sanitárias devem continuar sendo seguidas. “A pandemia não acabou. Tenho muito receio da bandeira amarela, porque a sensação é de que está tudo liberado. Não é vida normal. O que vai nos permitir flexibilizar são as medidas e o trabalho de toda a sociedade. Uso de máscaras, manter os ambientes ventilados, uso de álcool em gel”, ponderou Huçulak.

Curitiba deve permanecer com medidas menos rígidas pelo menos até o próximo dia 21, quando o decreto da bandeira amarela vence. Durante a coletiva, a secretária comentou que atual meta agora da capital é baixar os casos ativos para menos de 5 mil. Atualmente, a capital paranaense segue com aproximadamente 7 mil casos ativos da doença.

Com casos em queda, leitos de enfermaria serão fechados

Dados da pandemia, como a queda gradual de casos e também a diminuição da ocupação de leitos de UTI colaborou com a mudança de bandeira em Curitiba. Atualmente, com a ocupação de leitos mais controlada, a secretária informou que vai começar a atender novamente as demandas de especialidades da população nas UPAs.

“Estamos hoje com 326 leitos clínicos sobrando. Vamos voltar a atender a população. Nós também precisamos voltar a atender as rotinas de especialidade. Amanhã, mesmo fechando 150 leitos, vamos ficar com 176. A taxa de ocupação deve aumentar por isso, mas não vai comprometer o atendimento em Curitiba”, revelou a secretária.