A Rede de Monitoramento Covid Esgotos publicou nesta terça-feira (04) uma nota de alerta para Curitiba. Foi detectado um forte aumento na carga do novo coronavírus no esgoto da capital em 28 de dezembro de 2021, 31 vezes superior à carga detectada na semana anterior. Os dados foram obtidos pela soma das cargas das cinco Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs), monitoradas de Curitiba, que atendem juntas toda a população da cidade e uma fração da região metropolitana.

Desde agosto de 2021 as cargas não atingiam patamares tão elevados. Também foi observado uma duplicação no número de novos casos confirmados de covid-19 em Curitiba no período analisado, da última semana de 2021 em relação à semana anterior.

LEIA TAMBÉM:

>> Flurona é gripe com coronavírus; como saber se estou duplamente infectado?

>> Após festas de fim de ano, famílias contabilizam contaminados por Covid

Rede de monitoramento

A rede de monitoramento acompanha as cargas virais e concentrações de covid-19 no esgoto de mais outras cinco capitais: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro. Esse trabalho, uma das maiores iniciativas brasileiras de monitoramento do vírus, busca ampliar as informações para o enfrentamento da pandemia de covid-19.

Um dos principais objetivos é fornecer dados para auxiliar as autoridades locais de saúde na tomada de decisões relacionadas à manutenção ou flexibilização das medidas de controle para a disseminação da covid-19. Também pode fornecer alertas precoces dos riscos de aumento de incidência do vírus de forma regionalizada.

Com os estudos, o grupo pretende identificar tendências e alterações na ocorrência do vírus no esgoto das diferentes regiões monitoradas, o que pode ajudar a entender a dinâmica de circulação do vírus. Outra linha de atuação é o mapeamento do esgoto para identificar áreas com maior incidência da doença e usar os dados obtidos como uma ferramenta de alerta precoce para novos surtos, por exemplo.

A Rede é coordenada pela ANA e INCT ETEs Sustentáveis com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e conta com os seguintes parceiros: Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Além disso, a Rede conta com a parceria de companhias de saneamento locais e secretarias estaduais de Saúde.

Web Stories

Novidades!

Filmes e séries que chegam à Netflix nesta semana

Fora da Netflix

Séries para ver no lugar de “Grey’s Anatomy”

Malhação Sonhos

Nat sabota academia de Gael

Programe-se

Saiba quais feriados poderão ser emendados em 2022