A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba registrou, neste sábado (17), 477 novos casos de covid-19 e 26 mortes de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. Dezoito destes óbitos ocorreram nas últimas 48 horas. As vítimas são 14 homens e 12 mulheres, com idades entre 26 e 81 anos. Oito tinham menos de 60 anos.

+ Leia mais: “Não vou virar jacaré”, afirma Greca ao tomar 1ª dose da vacina em Curitiba

Até o momento foram contabilizadas 4.397 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia. Com os novos casos confirmados, 184.637 moradores de Curitiba testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia. Hoje são 6.957 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

173.283 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença.

Leitos do SUS

Neste sábado (17/4), a taxa de ocupação dos 523 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 está em 93%. Restam 35 leitos livres.
A taxa de ocupação dos 764 leitos de enfermarias SUS covid-19 está em 78%. Há 167 leitos vagos.

Números do Paraná

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste sábado (17) 3.099 casos confirmados e 115 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

+ Veja também: Leilão de obras de arte e experiências (cursos e viagens) movimenta Curitiba

Os dados acumulados do monitoramento da covid-19 mostram que o Paraná soma 900.165 casos confirmados e 20.167 mortos em decorrência da doença. São 52 mulheres e 63 homens, com idades que variam de 21 a 86 anos. Os óbitos ocorreram de 1º de dezembro a 17 de abril de 2021.

Internações – 2.428 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.958 pacientes em leitos SUS (970 em UTI e 988 em leitos clínicos/enfermaria) e 470 em leitos da rede particular (289 em UTI e 181 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 2.354 pacientes internados, 920 em leitos UTI e 1.434 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.