Nesta sexta-feira (25), Curitiba registrou 326 novos casos de coronavírus e 11 óbitos de moradores da cidade infectados pela doença. Com os novos dados, a capital paranaense chega a 42.805 casos confirmados de covid-19 e 1.246 mortes de moradores da cidade provocadas pela doença desde o início da pandemia.

Mesmo com os novos casos registrados, a capital paranaense vem demonstrado queda nos casos de coronavírus. Por causa da diminuição de casos ativos, a Secretaria Municipal de Saúde anunciou nesta sexta-feira a troca para a bandeira amarela de alerta neste domingo (27).

LEIA TAMBÉMCom queda de casos, bandeira amarela volta em Curitiba a partir de domingo

De acordo com o boletim da Secretaria Municipal da Saúde, das 11 novas vítimas registradas nesta sexta-feira, cinco são homens e seis mulheres, com idades entre 26 e 100 anos. Três das 11 vítimas tinham menos de 60 anos. O destaque é para a jovem de 26 anos, que estava internada por problemas respiratórios desde o final de julho, mas que acabou contraindo coronavírus e entrou em óbito nessa semana.

Queda de casos ativos

Nesta sexta-feira, o número de casos ativos de coronavírus chamou atenção: 3.811 pessoas tem potencial de transmissão do vírus. O dado é animador, em vista da média de 4 mil casos ativos que estavam sendo registrados na semana anterior. 37.748 já se recuperaram do coronavírus em Curitiba e estão recuperados da doença.

O potencial de transmissão da covid-19 também diminuiu para 0,81 esta semana, chegando ao patamar dos dias 7 e 8 de julho — período anterior da curva mais ascendente da doença em Curitiba desde o início da pandemia.

Internamentos

Nesta sexta-feira (25), a taxa de ocupação dos 334 leitos exclusivos de UTI SUS para covid-19 é de 77%. Por esse motivo, a secretária Márcia Huçulak informou na live desta sexta-feira que pretende diminuir a disponibilidade de leitos exclusivos para covid-19 e assim manter a média de 85% de ocupação que, segundo ela, segue um parâmetro bom para ocupação de leitos. No momento restam 77 leitos livres.

Todos os pacientes que são internados com quadro de síndrome respiratória aguda grave vão para os leitos exclusivos covid-19 e não apenas os casos confirmados da doença.