Números divulgados nesta terça-feira (16) mostram que a covid-19 avança de maneira mais agressiva em Curitiba. De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde, mais 510 casos e seis novas mortes foram confirmados na capital, sendo 82 novos casos individuais e 428 de testes RT-PCR coletados entre os dias 1º e 15 de junho e, que integram a medida de aumento da testagem na cidade – incluindo os exames feitos em pessoas de grupos de risco e profissionais de saúde.

Com os novos resultados positivos e os óbitos recentes, Curitiba contabiliza 2.375 casos confirmados e 89 mortes por covid-19. Os dados divulgados nesta terça-feira, preocupam as autoridades de saúde, especialmente pelo alto risco de faltar leitos para pacientes contaminados com coronavírus ou outras doenças. A taxa de ocupação de leitos SUS para covid-19 é de 85% nesta terça.

LEIA MAIS – Peguei covid-19 e agora? Veja o guia de isolamento social pros infectados em Curitiba

“Nós estamos em um crescimento exponencial da curva aqui em Curitiba. Assim, todas as medidas necessárias precisam ser feitas por toda a população. Medidas, que não são medicamentos, são comportamentos, é urgente que a população as tome, porque senão, em duas semanas nós não teremos mais leitos para internamento, nem das pessoas com infecção pelo novo coronavírus e também não o suficiente para as pessoas que adoecem em outras situações”, afirmou a médica infectologista Marion Burger, durante a transmissão do boletim diário.

LEIA AINDA – “Estou pagando por lugares vazios nos ônibus”, diz Greca após protestos contra bandeira laranja

De acordo com médica, entre os 428 resultados positivos colhidos desde o início do mês não houve nenhum caso de internamento e são os 82 resultados que são da rotina diária do sistema os que mais geram apreensão. “É uma excepcionalidade os 428 resultados em bloco, mas o preocupante mesmo são os 82 casos que demonstra uma evolução muito rápida. Dentro desses números estão sim internamentos de casos graves”, explica Marion.

Ainda segundo a atualização do informe epidemiológico, Curitiba tem 1.467 pessoas sem sintomas e já recuperadas da doença e 495 casos ainda em investigação. Outras 2.511 suspeitas de covid-19 testaram negativo e foram descartadas.

Vítimas

Além do recorde de novos casos, o número de mortes desta terça-feira também é o maior registrado em Curitiba desde o início da pandemia. Entre as novas vítimas estão mais dois homens e quatro mulheres, com idades entre 46 e 89 anos.

LEIA TAMBÉM – Paraná tem a terceira pior taxa de transmissão de coronavírus do país

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o homem de 46 anos não apresentava nenhum quadro de doença crônica associada ao novo coronavírus e era um dos óbitos que estavam em investigação. Os demais tinham históricos de doenças. Além dos 89 óbitos divulgados, outros 345 foram testados e descartados em Curitiba. Outras nove mortes suspeitas seguem em investigação.

Internados

Nos hospitais públicos e privados da capital paranaense, há atualmente 188 pacientes internados com já diagnóstico confirmado de covid-19. Deles, 78 estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 15 fazem uso de ventiladores mecânicos.Conforme a SMS, todos aqueles que dão entrada no internamento com sintomas suspeitos de síndromes respiratórias agudas graves vão para leitos exclusivos covid-19 e não apenas os casos confirmados.

BOLETIM SOBRE O CORONAVÍRUS ⚠

BOLETIM SOBRE O CORONAVÍRUS ⚠ Acompanhe ao vivo o boletim de informações sobre o coronavírus com a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak e a médica infectologista Marion Burger. Tradução em Libras por Lidiane Santos.

Posted by Prefeitura de Curitiba on Tuesday, June 16, 2020

A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?


Coronavírus no Brasil