Um piso gerador de energia elétrica está em fase de testes em um trecho de ciclovia no Centro Cívico, em Curitiba, próximo ao Palácio das Araucárias. O sistema tem como objetivo aumentar a segurança dos usuários das ciclovias da capital ao detectar a presença de ciclistas e pedestres e acender luzes de led para iluminar o caminho. A tecnologia usa sensores piezoelétricos e os testes começam oficialmente neste sábado (21). O projeto é uma colaboração entre a prefeitura e uma empresa japonesa.

A energia para acender os leds vem da vibração do piso, tanto do giro dos pneus das bikes quanto das pessoas que caminham por ele, onde estão instalados os sensores. Além de iluminar o local de passagem, os dispositivos também fazem a contagem do tráfego por um painel indicativo, que vai alertar os pedestres da chegada das bicicletas. Equipes da Soundpower – empresa japonesa dona da tecnologia – instalaram o sistema ao longo da semana na área que acompanha a canaleta do Rio Belém, em trechos de dez metros de pista de ciclovia e 20 metros de pista de pedestres – que inclui uma ponte. Foram usadas as cores vermelha (bicicleta) e verde (pedestres) para diferenciar as pistas.

Segundo Oscar Yamawaki, consultor jurídico da empresa em Curitiba, essa tecnologia já é aplicada em outros modais no Japão, nas áreas de segurança e apoio pessoas com deficiência. Em ciclovias é a primeira vez. “Por Curitiba ser a pioneira, o estágio de demonstração é fundamental para o sucesso de uma futura implantação definitiva do sistema. Mas essa implantação seria um próximo passo a ser analisado”, disse Yamawaki, brasileiro e único a falar português na equipe.

A fase de testes deve durar um ano e não tem custo para a administração pública. Está sendo bancada pelo governo do Japão por um termo de colaboração. O projeto havia sido apresentado em março de 2017 para o vice-prefeito e secretário municipal de Obras Públicas e Infraestrutura, Eduardo Pimentel. Em outubro do ano passado, o prefeito Rafael Greca anunciou os testes durante a visita de uma comitiva da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), afirmando que eles fazem parte do plano de conscientização de energias alternativas do Vale do Pinhão, Agência Curitiba e Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA).

Se aprovado, a prefeitura de Curitiba tem interesse em implementar o sistema de forma definitiva nas ciclovias. Segundo a prefeitura, isso vai depender do orçamento e do funcionamento e comportamento das pessoas em relação aos dispositivos. Na tarde de quinta-feira (19), o prefeito Rafael Grega vistoriou a montagem dos equipamentos na ciclovia do Centro Cívico e conversou com o CEO da Soundpower, Kohei Hayamizu, e com Oscar Yamawaki a respeito de possíveis ampliações e melhorias no projeto. Grega disse que espera ter esses dispositivos em todos os trechos de ciclovias da cidade.

Presos dois suspeitos de estriparem jovem na Grande Curitiba