O acidente (07/05/2009)

Na noite de 7 de maio de 2009 os jovens Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida morreram em um grave acidente ocorrido no bairro Mossunguê, em Curitiba. O carro dirigido pelo então deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho “decolou” em alta velocidade no cruzamento da rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi com a Paulo Gorski, atingindo em cheio o carro dirigido pelas vítimas. Carli foi internado na UTI com graves ferimentos, permanecendo por dias em coma. Leia maisVelocidade e tragédia em acidente no Mossunguê

Testemunhas (15/05/09)

Testemunhas oculares do acidente afirmam que o ex-deputado estava em altíssima velocidade no momento da batida. Tanto um motorista que estava logo atrás, como uma moradora, testemunharam contra Carli. Outros depoentes foram além e atestaram a embriaguez do acusado. Leiam mais: Testemunhas complicam situação de Carli Filho.

Foto: Átila Alberti / Tribuna do Paraná
Foto: Átila Alberti / Tribuna do Paraná

Exame confirma que Carli bebeu (19/05/09)

Em exame feito pelo Instituto Médico Legal apontou que Carli Filho teria ingerido álcool na noite do acidente. Os níveis estavam quatro vezes acima do tolerado à época. Contudo, o resultado não foi anexado ao processo, pois a coleta foi feita sem o consentimento do acusado. Leia maisExame do IML comprova que Carli Filho estava embriagado.

Cassação e renúncia (22 e 29/05/09)

O partido do então deputado pediu a cassação do mandato do deputado alguns dias após o acidente. Leia mais: Partido formaliza pedido de cassação de Carli Filho. Pouco tempo depois, o próprio deputado renunciou. Leia tambémFernando Ribas Carli Filho renuncia ao mandato de deputado estadual

Indiciado por homicídio (09/06/09)

O ex-deputado foi indiciado pela Delegacia de Delitos de Trânsito por homicídio ao final das investigações da polícia. Leia mais: Ex-deputado Carli Filho é indiciado por homicídio

Advogados questionam peritos (11/06/09)

O advogado que representa as vítimas do acidente questionaram os peritos envolvidos na investigação e também na reconstituição que aconteceria dias depois. Leia maisAdvogado questiona peritos que atuam no caso Carli Filho.

Imagens sumiram (13/06/09)

As imagens de segurança de um posto de gasolina, bem na esquina onde aconteceu o acidente, sumiram. A única que foi divulgada, segundo a família, foi adulterada. A qualidade é bem ruim e não ajudou muito a acusação. Leia mais: Perícia paralela aponta fraude no caso Carli Filho.

Carro do deputado. Foto: Átila Alberti / Tribuna do Paraná
Carro do deputado. Foto: Átila Alberti / Tribuna do Paraná

A primeira reconstituição (24/06/09)

No dia 24 de junho de 2009 foi realizada a primeira reconstituição do caso. Na época especulava-se que o carro dirigido por Carli estivesse a 190 km/h (número que foi tema de vários protestos) e a reconstituição ajudou a “desmentir” esse número. A velocidade real, no entanto, não foi menos assustadora. Leia mais: Acidente de ex-deputado é reconstituído.

Protesto pede justiça (08/08/09)

Três meses após o acidente uma grande manifestação lembrou o acidente e pediu por justiça. Com faixas chamando a atenção para a velocidade do deputado na hora do acidente (o “190 km/h é crime” virou até adesivos) os familiares e amigos chamaram a atenção para não deixar o caso cair no esquecimento. Leia maisProtesto pede justiça no caso Carli Filho.

Denúncia acatada (05/09/09)

A denúncia feita pelo Ministério Público Estadual, com base no inquérito policial, foi acatada pela Justiça em 5 de setembro de 2009 . A acusação era de duplo homicídio qualificado com dolo eventual, dirigir embriagado e violar a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação. Leia mais: Acatada denúncia contra Carli Filho.

 

Carli Filho falta à audiência (05/02/10)

O ex-deputado não compareceu à audiência de instrução e julgamento do caso, realizada no Tribunal do Júri de Curitiba. Ao todo foram ouvidas 16 testemunhas de acusação. Leia mais: Carli Filho falta à audiência sobre acidente.

Garçom testemunha embriaguez (06/02/10)

O garçom do restaurante em que Carli jantou pouco antes do acidente prestou depoimento e confirmou os sinais de embriaguez do ex-deputado. Segundo a testemunha, ele estava bêbado e se recusou a ir embora com um casal de amigos. Leia maisGarçom reafirma embriaguez de Carli Filho.

Carro dos amigos Gilmar e Murilo. Foto: Átila Alberti / Tribuna do Paraná
Carro dos amigos Gilmar e Murilo. Foto: Átila Alberti / Tribuna do Paraná

Ex-deputado não lembra do acidente (11/08/10)

Na única vez em que falou sobre o caso na Justiça, Carlo filho disse que não se lembra do acidente. O ex-deputado falou que lembra de ter jantado e admitiu o consumo de vinho, mas a partir da saída do restaurante ele não se lembrou de mais nada. Leia mais: Carli Filho confirma que não lembra de acidente que matou jovens.

Caso Carli vai a júri popular (30/01/13)

Em janeiro de 2013 a Justiça decidiu que Carli Filho seria julgado no Tribunal do Júri (Júri Popular). A partir dali foram dois adiamentos até chegar a data de hoje, dia em qe finalmente o júri vai acontecer. Leia maisApós quase quatro anos, Carli Filho vai a júri popular.

Mãe de Yared se elege deputada (06/10/14)

A mãe de uma das vítimas, Christiane Yared, ergueu a bandeira da segurança no trânsito e se elegeu como a deputada federal mais votada do Paraná em 2014. Leia maisChristiane Yared diz que “júri popular foi para as urnas”.

Encontro inusitado (11/12/15)

Numa das tentativas da defesa de Carli em suspender o Júri Popular ocorreu um encontro inusitado. Christiane e Carli estiveram no mesmo voo voltando de Brasília. Foi a primeira vez que ambos se viram pela primeira vez. Leia mais: Cristiane Yared e Carli Filho acabam embarcando no mesmo avião.

Gilmar (pai) e Christiane Yared. Foto Fábio Alexandre / Tribuna do Paraná
Gilmar (pai) e Christiane Yared. Foto Fábio Alexandre / Tribuna do Paraná

Multa antes da batida (20/01/16)

O pai de Gilmar Rafael, Gilmar Yared, apresentou aquela que seria uma multa tomada por Carli momentos antes da colisão. O sumiço dessa multa do sistema reforçaria uma das teses de que Carli estaria num racha com um terceiro carro. A hipótese, no entanto, nunca foi cogitada no processo. Leia maisGilmar Yared mostra multa de radar registrada momentos antes de acidente.

O perdão de Carli Filho (07/05/16)

Sete anos após o acidente Carli Filho falou publicamente pela primeira vez. Em um vídeo divulgado por ele mesmo o ex-deputado pediu perdão às famílias das vítimas. Leia mais: Carli Filho pede perdão às mães de jovens mortos em acidente.

Falsa emoção (07/05/16)

A defesa das famílias de Gilmar e Carlos Murilo externou o sentimento de seus clientes após a divulgação do vídeo com o pedido de perdão. Leia maisDefesa da família Yared critica ‘falsa emoção’ de Carli Filho em vídeo.

Punição severa (28/06/17)

Tornando real seu principal objetivo ao entrar na política, Christiane Yared apresentou projeto que endurece punição a crimes cometidos no trânsito. Leia mais: Projeto torna inafiançável acidentes envolvendo álcool e vítima fatal.

Nova reconstituição (12/10/17)

Defesa de Carli pediu nova reconstituição para embasar sua defesa. Leia mais: Nova reconstituição do acidente do caso Carli Filho é feita no Mossunguê.

Dona Vera Carvalho, mãe de Murilo. Foto: Felipe Rosa / Tribuna do Paraná
Dona Vera Carvalho, mãe de Murilo. Foto: Felipe Rosa / Tribuna do Paraná

Finalmente marcado (29/01/18)

Apenas em janeiro deste ano foi definida a data do julgamento de Carli Filho. Serão dois dias para acusação e defesa tentarem fazer valer suas teses. Leia mais: Quase nove anos depois, Carli Filho vai a júri popular; sessão acontece daqui a um mês.

Mudança de local (30/01/18)

A defesa do ex-deputado tentou de todo jeito tirar o julgamento de Curitiba alegando que os jurados estariam influenciados pela comoção popular em volta do ocorrido. A eleição de Yared seria prova de que a influência pró-condenação estaria acentuada. Leia mais: Defesa de Carli Filho tenta tirar julgamento por homicídio de Curitiba, mas juiz nega liminar.

Justiça mantém em Curitiba (09/02/18)

Não adiantou a defesa tentar o “desaforamento” do julgamento e ele permanece em Curitiba. Leia mais: Júri popular de Carli Filho vai acontecer em Curitiba mesmo, decide Tribunal.

As testemunhas (19/02/18)

Defesa e acusação arrolaram várias testemunhas no processo. Leia maisVeja quem são as testemunhas do julgamento de Carli Filho

Júri começa nesta terça (26/02/18)

O julgamento de Carli Filho começa nesta terça-feira no Tribunal do Júri, em Curitiba. A previsão é de que dure dois dias. Leia mais: Julgamento de Carli Filho começa nesta terça no Tribunal do Júri.

A dor e o silêncio (27/02/18)

A mãe de Carlos Murilo de Almeida, Vera, quebrou um silêncio de quase 9 anos e falou sobre a dor da ausência do filho. Em relato emocionante ela ajudou a reportagem a traçar um perfil do jovem, que pela exposição e lutas da outra família, quase caiu no esquecimento. Leia mais: Mãe não esquece.

Mãe não esquece