A Justiça do Paraná determinou que o assassino confesso de Daniel Corrêa Freitas, Edison Brittes Junior, pague pensão para a filha do ex-jogador de futebol, morto em outubro do ano passado. A menina, que hoje tem 2 anos e 7 meses, tinha todas suas despesas pagas por Daniel e, segundo a decisão liminar, não tem condições de se manter sozinha. Todo dia 10, Brittes será obrigado a depositar R$ 5 mil na conta da mãe da criança.

+ Leia mais: Três réus do Caso Daniel são soltos e Cristiana Brittes deixa de usar tornozeleira

A casa de Brittes teve seu bloqueio determinado pela Justiça para garantir do pagamento da pensão. “Não se busca satisfação com o dinheiro, mas sim a proteção da criança, o recebimento de alimentos e uma vida digna. As necessidades básicas dela. Era ele (Daniel) que sustentava a criança e pagava os custos e despesas. Hoje a criança não tem mais essa ajuda do pai”, disse Giuliana Pitthan, advogada da família de Daniel, à RPC TV.

A defesa de Edson Brittes se pronunciou por nota oficial informando que “não foi notificada, mas no entanto ressalta que a liminar e uma situação precária e provisória, que pode ser revertida coma devida argumentação dos fatos”.