A Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR) começa nesta quarta-feira (01/06) a atender vítimas de crimes e atos infracionais em Curitiba. Agora, é possível que as pessoas comecem a agendar o atendimento nestes casos pelo Whatsapp. Nesta quarta-feira, também começa a possibilidade de agendamento pelo site da DPE-PR.  

Qualquer pessoa que tenha sido vítima de um crime ou ato infracional, com exceção de mulheres em situação de violência doméstica e familiar, pode buscar atendimento na Sede Central da DPE-PR, que fica na Rua José Bonifácio, 66, Centro, onde haverá uma sala reservada para atender as pessoas com privacidade e sigilo, das 9h às 13h, no 2º andar.

+ Leia mais: PMs são denunciados por roubo, tortura e abuso durante abordagem na RMC

As mulheres vítimas de violência doméstica e familiar continuam a ser atendidas pelo posto avançado da DPE-PR na Casa da Mulher Brasileira de Curitiba

O projeto, batizado de “Reconstruir”, conta com a parceria do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Ministério Público do Paraná (MPPR), Polícia Civil do Paraná (PC-PR) e universidades. 

A metodologia utilizada pelo projeto é a Justiça Restaurativa, a qual visa construir uma outra experiência de justiça para aqueles envolvidos em uma situação de violência e conflito. A Justiça Restaurativa tem como objetivo criar espaços de comunicação entre os envolvidos e dar à vítima maior autonomia para decidir como ela deseja ver seu caso ser tratado pelo sistema de justiça criminal. 

A parceria também envolve o Ministério Público, com o escopo de disseminar a cultura da Justiça Restaurativa e capacitar os promotores e promotoras para, dentro de suas funções constitucionais, incluir essa possibilidade em sua rotina, como já vem sendo incentivado pela instituição há alguns anos. 

+ Veja mais: Eleição para presidente decidida no 1º turno em 2022? Saiba a chance de isso acontecer

Se a procura da Defensoria for para buscar reparar o dano material, a solicitação será dirigida à área de atendimento Cível da instituição, onde a vítima poderá, com assistência jurídica especializada, ingressar com uma ação judicial para pedir a responsabilização cível de quem lhe causou o prejuízo. Casos de pedido com valor de até 20 salários mínimos não precisam de advogados nos Juizados Especiais Cíveis, portanto, a Defensoria pode orientar como entrar com a ação, e pode entregar, inclusive, um relatório sobre o caso para a vítima incluir na sua petição inicial. 

Estelionato

Por enquanto, a parceria com a Polícia Civil possibilitará que a Delegacia de Estelionato de Curitiba informe e encaminhe as pessoas que queiram ser acolhidas pelo projeto Reconstruir. Depois, o serviço será informado em todas as unidades da PC-PR. Leia mais detalhes aqui.  

Como funciona

Quem pode procurar pelo serviço?

• Vítimas diretas e indiretas de crimes e atos infracionais (cometidos por adolescentes).
• Para o projeto, entende-se como vítimas diretas aquelas que sofreram a violência diretamente, e vítimas indiretas os familiares das vítimas diretas, assim como testemunhas.
• Não são atendidas pelo projeto as mulheres vítimas de violência doméstica ou familiar, pois o atendimento continuará sendo realizado pelo posto avançado da DP-PR na Casa da Mulher Brasileira de Curitiba (Av. Paraná, 870 – Bloco vermelho – Tel: 3221-2731 ou 3221-2732 – Atendimento de segunda a sexta, das 12h às 16h).

O que fazemos?

• Acolhimento e escuta especializada das vítimas.
• Esclarecimentos jurídico-processuais.
• Encaminhamento para pedido de reparação/indenização, se houver (após triagem socioeconômica)
• Sempre que necessário, encaminhamento para atendimento psicológico gratuito prestado por universidades parceiras ou pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
• Articulação e encaminhamento para a realização de práticas de mediação penal e justiça restaurativa, em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná.
O que não fazemos?
• Não ingressará no processo como assistente de acusação, já que defensores(as) não atuarão para auxiliar o trabalho de acusação feito pelo MP-PR. 
• Não ingressará com ações nos Juizados Especiais Cíveis e Criminais.

Quando e onde será feito o atendimento?

• Os atendimentos ocorrerão de segunda a sexta, das 9h às 13h, 2º andar, na Sede Central de Atendimento da Defensoria Pública, localizada na Rua José Bonifácio, nº 66, Centro de Curitiba (atrás da Catedral Tiradentes).
É necessário fazer agendamento?
• Sim. O agendamento pode ser feito no site da Defensora Pública (https://agendamento.defensoria.pr.def.br/)  ou via Whatsapp por meio do número (41) 9 9191-7706 a partir do dia 1º de junho. 

Quais documentos apresentar?

  • Documentos do solicitante:
  • Carteira de Identidade RG e CPF;
  • Comprovante de Residência preferencialmente no nome do assistido (talão de água, luz ou telefone de no máximo três meses);
  • Declaração de residência (próprio punho), em caso de comprovante em nome de terceiro;
  • Caso declare Imposto de Renda, Carteira de Trabalho ou Comprovante de Renda atual (últimos 03 (três) meses, no máximo);
  • Caso não declare Imposto de Renda, documento comprobatório dessa condição;
  • Outros dados e documentos referentes à situação em questão.
Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.