Após o registro de temporais no estado do Paraná na madrugada deste domingo (24), a previsão para o restante do dia segue de alerta. Segundo a Defesa Civil, a capital paranaense deve ter rajadas de vento de 84 km/h e também chuvas de 20,9 mm. Ainda neste domingo, o litoral do estado está sob alerta também. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, o alerta laranja, que significa “Perigo” está acionado para ventos na faixa litorânea.

+ Veja também: Explosão misteriosa, seguida de tremor de terra, assusta moradores de Colombo

Durante a madrugada, o temporal que atingiu Curitiba fez estragos pela cidade. Na central 156, foram registradas seis solicitações para atendimento emergencial relacionado à árvores ou de galhos caídos em via pública ou bloqueando vias. Os bairros atingidos foram: Água Verde, Alto da Glória, Mercês, Sítio Cercado e Boa Vista. Apesar das ocorrências, até o momento não há registros de pessoas desabrigadas ou desalojadas.

Em Curitiba, os canais de atendimento as emergências são os telefones:

  • 199 (Defesa Civil),
  • 153 (Guarda Municipal),
  • 156 (Prefeitura Municipal de Curitiba),
  • 193 (Corpo de Bombeiros).

Pelo estado

No Paraná, 384 pessoas foram atingidas, 32 foram desalojadas e 16 permanecem em abrigos provisórios neste domingo (24).

Em dez das 16 cidades atingidas, teve chuva de granizo. Foz do Iguaçu registrou o maior número de ocorrências, com 600 residências danificadas na passagem do vendaval. Oito pessoas ficaram desabrigadas, outras seis foram afetadas e seis estão desalojadas.

+ Leia mais: Vital para o nível dos reservatórios, chuva perde força em Curitiba, mas já tem data pra voltar

Os municípios que precisarem de orientação neste domingo, podem entrar em contato com os escritórios da Sejuf na sua região ou com Larissa Marsolik, chefe do Departamento de Assistência Social da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho pelo celular 41 9 9943-3687 ou e-mail larissam@sejuf.pr.gov.br

“A previsão é de mais chuva nas próximas horas. O atendimento de ponta é feito pelo Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e as prefeituras. Mas nós, da Sejuf, vamos nos manter mobilizados para ajudar em tudo que for necessário”, afirmou o secretário Ney Leprevost.