A indignação pelo atropelamento de pelo menos 20 capivaras no dia 5 de outubro, em Apucarana, Norte do Paraná, ganhou mais um capítulo nas redes sociais do delegado Matheus Laiola, chefe da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente da Polícia Civil. Em uma postagem feita no sábado (9), no Instagram, Laiola critica a falta de empatia com os animais e reafirma a busca da polícia para identificar o motorista responsável pelo atropelamento. Pelo menos uma das capivaras morreu.

Conforme aponta Laiola, o suspeito, mesmo depois de identificado, não poderá ser preso porque a atual lei dos maus tratos (Lei n.º 14.064/2020) não prevê esse tipo de pena, a não ser multa. “A Lei Sansão não se aplica a outros animais, a não ser cães e gatos”, diz o delegado, se referindo ao nome que ganhou a lei por causa do cachorro Sansão, um pitbull que foi maltratado e inspirou a inclusão de pena para esse tipo de crime, cuja pena é de 2 a 5 anos de reclusão.

+Leia mais! Capivaras e seus casos inusitados em Curitiba!

Ainda conforme o Delegado Matheus Laiola, o suspeito “vai responder em liberdade e o máximo que poderá acontecer com ele é pagar alguma multa, mas preso por isso ele nunca será”. No vídeo, o delegado ainda se mostra indignado com os comentários postados nas redes sociais sobre o caso do atropelamento. Os prints de Laiola trazem, por exemplo, textos ironizando como seriam feitos os primeiros-socorros nos bichinhos. “Prestar socorro? Tipo massagem cardíaca e respiração boca a boca?”, diz um dos prints.

View this post on Instagram

Uma publicação compartilhada por DELEGADO MATHEUS LAIOLA (@delegado.matheuslaiola)

Laiola afirma que a legislação precisa mudar. “Ele matou uma capivara. Mas sabe o que aconteceria se ele matasse 30 capivaras, 40 capivaras? Nada […]. A legislação precisa mudar”.

O caso foi registrado no Parque Jaboti, próximo a barragem. Um motorista ainda não identificado acelerou sobre a manada de capivaras, deixando um animal morto e diversos, entre eles filhotes, feridos.  As imagens foram feitas por um servidor da prefeitura que passava no local. Ele postou os vídeos das redes sociais.

Mensagens ironizavam o atropelamento das capivaras no interior do Paraná.
Mensagens ironizavam o atropelamento das capivaras no interior do Paraná. Foto: Reprodução.

“Ontem a noite 05 de outubro me deparei com uma cena que aparentemente me chamou a atenção pela beleza das capivaras… porém um carro que estava vindo na direção delas não diminuiu a velocidade (mesmo tendo uma faixa elevada) e acabou por atropelar os animaizinhos. Infelizmente não consegui pegar a placa e ele(a) não parou o carro e hoje cedo quando fui correr vi que tinha uma morta na beira da ponte. É preciso mais cuidado e respeito nas vias públicas, o Jaboti é um local para prática de atividade físicas, com animais silvestres e uma baita FAIXA ELEVADA que alguns motoristas (Se podemos chamar de motoristas) não respeitam… #muitotriste #lamentável #faltaderespeito”, diz o post do servidor.

Web Stories

Sorte

Veja o resultado das loterias de sábado, 09/10

Humm!

Quatro opções de café da manhã de hotel em Curitiba

Série

A Usurpadora: Paola ordena que Manuel elimine Paulina

Esporte

Aprenda a jogar Tênis de graça em Curitiba