A notícia que 12 pessoas foram assassinadas em Colombo nos últimos 20 dias, não surpreendeu o delegado Rafael Vianna, do Alto Maracanã. Segundo ele, as polícias Militar e Civil estão trabalhando duro para inibir a criminalidade, com intensificação no combate ao tráfico de drogas e na apreensão de armas.

“Sábado, recolhemos várias armas e acabamos com uma festa onde a droga rolava solta. Além disso, estamos identificando vários pontos de tráfico na cidade”, contou. O delegado disse também que, dos 12 homicídios acontecidos no mês, a maioria já está com autoria identificada.

Para a morte de Vanessa Maia, 28 anos, executada com vários tiros na noite de segunda-feira, no Jardim Eucaliptos, o delegado disse que logo terá novidades. Na hora do crime, ela estava com Marcelo Brito Santos, 29, ferido com um tiro de raspão no braço e levado pelo Siate ao Hospital Cajuru.

Vanessa era usuária de crack e se prostituía para sustentar o vício. O corpo dela foi liberado pelos familiares, que vieram de Foz do Iguaçu, onde ela morava antes de abandonar a estabilidade da família para viver num mocó, em Colombo.

Solução