A variante Delta do coronavírus superou a Gama, surgida no Amazonas e conhecida também como P1, e agora é a predominante em circulação no Paraná. A confirmação veio após análise de amostras de pacientes paranaenses de Covid-19 feita pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Segundo reportagem do jornal Boa Noite Paraná, da RPC, dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) apontam que a presença majoritária de casos de Covid-19 provocados pela variante Delta foi identificada em 8 de agosto de 2021. Até 11 de agosto, a pasta dizia ainda não ter dados suficientes para mensurar a prevalência da cepa no Paraná.

+Viu essa? Homem flagrado “passando a mão” em ciclista é preso no interior do Paraná

As amostras analisadas pela Fiocruz foram, cada vez mais, tendo a Delta como variante causadora. Os dados mais recentes, de 12 de setembro, mostram que a cepa já era responsável por mais de 90% dos casos da Covid-19 no Paraná.

Segundo a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesa, Acácia Nasr, em entrevista à RPC, a prevalência da variante Delta se dá pelo fato de esta cepa ter uma alta taxa de transmissibilidade. “Como é mais transmissível, cada pessoa infectada pelo vírus da Covid-19 pode transmitir para mais pessoas. Então, é muito importante que a partir do momento que se tenha qualquer sinal ou sintoma de gripe seja feita a testagem e não se entre em contato com outras pessoas.”

+Leia ainda! Curitiba inicia vacinação de adolescentes sem comorbidades no próximo sábado

Apesar de ser mais transmissível, a variante Delta não está provocando um aumento significativo nas taxas de ocupação hospitalar no Paraná. Dados do boletim diário da Sesa desta terça-feira (28) mostram que a taxa de ocupação dos leitos de UTI SUS exclusivo para o tratamento de pacientes adultos graves da doença estava em 52%.

“Completar o esquema vacinal é fundamental nesse momento. As vacinas que estão disponíveis no país são eficazes contra a variante Delta”, garantiu o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, também à RPC.

+ Leia mais: Gasolina perto dos R$ 6 e ainda subindo. De quem é a culpa das altas consecutivas?

Histórico

Uma mulher de 71 anos, moradora de Apucarana, teve o diagnóstico positivo de Covid-19 confirmado em abril de 2021. Um mês depois, em 2 de junho, a Fiocruz confirmou tratar-se da primeira paciente do estado com a variante Delta.

No fim de julho, o Ministério da Saúde, a Fiocruz e a Sesa confirmaram que já não era mais possível identificar a origem dos casos cada vez mais frequentes de infecção pela cepa. No dia 28 daquele mês, foi estabelecido o caráter de transmissão comunitária da variante no estado. Duas semanas depois, a cepa passou a responder por mais de 50% dos casos de Covid-19 no Paraná, de acordo com a análise da Fiocruz de amostras aleatórias de pacientes do Paraná.

Pantanal

Zuleica não aceita morar na fazenda com os filhos

Além da Ilusão

Davi expulsa Iolanda de casa

Novidades da Netflix

Filmes e séries que chegam à Netflix nesta semana

Estreia da semana

5 curiosidades sobre “O Telefone Preto”