Uma dentista de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, sofreu um grande susto nesta quinta-feira (18), ao tomar sua dose da vacina contra a covid-19. A profissional de saúde Diesi Hipolito percebeu, com a ajuda de uma amiga, que a auxiliar de enfermagem responsável por aplicar o imunizante só tinha injetado a agulha da seringa, ou seja, o líquido não foi aplicado. A auxiliar de enfermagem já foi identificada e pode perder o emprego na prefeitura do município.

+Leia mais! Aplicar vacina de “vento” pode ser perigoso? Entenda o que pode acontecer

O fato só foi notado pela amiga que gravou o momento da aplicação da vacina. Ao visualizarem a imagem, perceberam que a seringa estava vazia. “ Ela pediu mil perdões e falou que faria a aplicação de novo. Nunca imaginei que aconteceria comigo”, disse Hipólito segundo vídeo reproduzido no telejornal Meio-Dia Paraná da RPC. Após reclamar, a dentista recebeu a imunização corretamente. Segundo o plano de imunização da prefeitura de Fazenda Rio Grande, profissionais de saúde que moram na cidade estão incluídos na primeira fase de vacinação.

Demissão

A prefeitura de Fazenda Rio Grande informou que a auxiliar de enfermagem trabalha há anos como servidora do município e que poderá perder o emprego após o fato. “Nós a afastamos e abrimos um processo disciplinar para averiguar a veracidade dos fatos. Uma comissão irá tomar a decisão com todos os protocolos e ela poderia ser punida”, disse Marcelo Molinari, procurador de Fazenda Rio Grande, em entrevista para a RPC.

+Leia mais! Acabou! Curitiba interrompe vacinação de idosos nesta sexta-feira por falta de doses. Não há previsão de retomada

Nas redes sociais, a dentista alerta as pessoas que estão sendo vacinadas ou mesmo que serão imunizadas. ” É um alerta que faço especialmente para os idosos e a gente pensa que é fake news, mas aconteceu comigo Estou vendo o que farei e é o Brasil né? Nós estamos sendo passados para trás em tudo”, desabafou a dentista.

Plano de vacinação de Fazenda Rio Grande

Primeira fase

Profissionais de saúde que trabalham ou moram em Fazenda Rio Grande; Idosos de 60 anos ou mais, que moram em instituições de longa permanência (asilos);
Pessoas de 75 anos ou mais;
Pessoas de 60 anos ou mais institucionalizadas;

Segunda fase
Idosos Pessoas de 60 a 74 anos.

Terceira fase
Pessoas portadoras de Morbidades:Diabetes mellitus; hipertensão arterial grave; doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer; obesidade grave (IMC≥40).

Quarta fase
Trabalhadores essenciais, como os de limpeza pública, segurança pública, motoristas e cobradores, professores, taxistas e motoristas de aplicativos.

Quinta fase
Grupos não prioritários, como a população com menos de 60 anos, seguindo a ordem de idade, dos mais velhos para os mais jovens.