Curitiba segue em bandeira laranja – de risco médio epidemiológico em relação a contaminação por coronavírus – mas abriu uma exceção no último decreto municipal (nº 790) em relação ao funcionamento do comércio no Dia das Mães, comemorado neste domingo, 9 de maio. Excepcionalmente, os restaurantes poderão atender presencialmente neste dia; no decreto de bandeira laranja, esses estabelecimentos estão permitidos apenas com atendimento por delivery ou take away aos domingos.

VEJA TAMBÉM – 16 frases e mensagens de Dia das Mães para imprimir ou enviar por WhatsApp

No dia 9 de maio, os restaurantes podem atender presencialmente das 10h às 23 horas, garantindo o almoço ou jantar comemorativo do Dia das Mães. Lanchonetes, das 6h às 23 horas; panificadoras, padarias e confeitarias de rua das 7h às 18h; shopping centers das 11 às 22 horas e supermercados das 6h às 23 horas.

Em coletiva de imprensa no dia da publicação do decreto, a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, disse que a decisão foi tomada com “muita cautela, pensando em dar oportunidade para os filhos e mães comemorem a data, mas, claro, com toda a segurança dos protocolos”, frisou.

Para auxiliar o poder público e mostrar que é possível comemorar almoçando ou jantando fora de casa, mas com consciência, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) encampa junto com o Bom Gourmet a campanha: “No Domingo do Dia das Mães, comemore com segurança no seu restaurante favorito”, com orientações para restaurantes e clientes.

“A pandemia ainda não acabou e as pessoas têm que ter consciência, junto com as normas que os estabelecimentos devem fazer. Só estaremos tranquilos quando todo mundo estiver vacinado”, fala o diretor-executivo da Abrasel, Luciano Bartolomeu.

LEIA AINDA – Via rápida que liga Centro à região Norte de Curitiba vai mudar preferência de tráfego

Os restaurantes podem atender no domingo com 50% da capacidade, frisa Bartolomeu. Isso significa que os locais devem manter o distanciamento de 1,5m entre as mesas, ou bloquear o uso entre elas. “Verifique e exija do restaurante esse distanciamento”.

Outro pedido da Abrasel para evitar aglomerações e filas é: faça a reserva da mesa com antecedência e cheque quais horários estarão mais tranquilos. Mais uma orientação, tanto da entidade como da coordenadora da Vigilância Sanitária de Curitiba, Francielle Narloch, é ir ao restaurante com pessoas da mesma convivência. “Se reunir com parentes que não sejam do convívio diário pode colocar as pessoas em risco. Se a família for muito grande, ao menos se sente próximo ao núcleo familiar e procure se distanciar dos demais”, orienta.

Respeitar as marcações de distanciamento nas filas e estabelecimentos e uso de máscara é fundamental. Especialistas vêm recomendando o uso do modelo pff2 no Brasil com o agravamento da pandemia. Considerada um Equipamento de Proteção Individual (EPI), é usada por profissionais de saúde e indicada para quem permanece por longos períodos em locais fechados com ar-condicionado, e também para ida a estabelecimentos sem ventilação natural, como shoppings e supermercados.

Caso não seja possível o uso da pff2, o mais importante é que a máscara – seja de tecido ou cirúrgica – fique bem ajustada ao rosto e cubra o nariz e a boca. “Essa vedação é o que impede a dispersão de gotículas”, explica Francielle.

Fique de máscara!

Na ida ao restaurante, o mais importante é se manter com a máscara até o momento da refeição. Ela também alerta para a armazenagem correta: não largue a máscara em cima da mesa ou na bolsa sem proteção. Leve um saco plástico, retire e guarde na bolsa. Ao final da refeição, recoloque.

LEIA MAIS – Máscaras de farmácia são mais eficazes que as de tecido, aponta estudo

Francielle salienta que o ideal é levar uma nova máscara para trocar após a refeição. Bartolomeu também alerta para o uso da máscara quando a pessoa circular pelo restaurante (para ir ao banheiro, por exemplo).

Francielle indica preferir locais ao ar livre ou bem ventilados. Caso o restaurante seja em um ambiente sem ventilação natural, ela considera que o ideal é permanecer apenas pelo tempo da comemoração, sem se alongar. “Se o ambiente for ao ar livre as pessoas podem ficar por mais tempo, desde que coloquem a máscara no final e se mantenham distantes”.

Francielle Narloch dá outro aviso importante: mesmo que a sua mãe ou a avó já tenham tomado as duas doses da vacina, os cuidados permanecem os mesmos. “A vacina não impede a transmissão do vírus”, enfatiza.

Recapitulando as indicações da Abrasel e da Vigilância para Sanitária de Curitiba para comemorar o Dia das Mães no domingo, 9 de maio:

  • Faça reserva com antecedência;
  • Leve pessoas da mesma convivência;
  • Chegando ao local evite filas e aglomerações
  • Use máscara pelo maior tempo possível e retire apenas na hora da refeição. O modelo pff2 é o mais indicado pelos especialista neste momento de agravamento da pandemia;
  • Armazene a máscara em um saco plástico. Não deixe jogada em cima da mesa;
  • Higienize as mãos com água e sabão ou álcool gel;
  • Mantenha o distanciamento de outras pessoas e cumprimente a distância, sem abraços.

Confira o que pode abrir, excepcionalmente, no Dia das Mães, 9 de maio, conforme decreto municipal:

  • Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais: das 9 às 19 horas
  • Shopping centers: das 11 às 22 horas
  • Restaurantes: das 10 às 23 horas 
  • Lanchonetes: das 6 às 23 horas
  • Panificadoras, padarias e confeitarias de rua: das 7 às 18 horas 
  • Comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, distribuidoras de bebidas, peixarias e açougues: das 6 às 23 horas
  • Mercados, supermercados e hipermercados: das 6 às 23 horas
  • Lojas de conveniência em postos de combustíveis: das 6 às 23 horas.