Em tempos de enfrentamento ao coronavírus, os bancos de sangue no Paraná estão quase zerados por causa do receio dos doadores de comparecer aos locais de coleta. Sem estoque, pacientes em estado grave, entre eles os que enfrentam dengue hemorrágica, podem sofrer impacto nos tratamentos nos próximos dias.

Tentando reverter esse quadro, a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) tomou medidas para evitar aglomeração nos locais de espera para a doação, está realizando agendamento via aplicativo e a diretora faz um apelo: “Necessitamos que as pessoas continuem doando”.

LEIA MAIS – Farmácias do estado terão atendimento individual e delivery para evitar coronavírus

Nas últimas 48 horas houve uma queda brusca na doação de sangue ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar). Enquanto em uma situação de coleta normal cerca de 860 a 900 doadores comparecem por dias nos hemocentros de todo o Paraná, na última terça-feira (17), foram apenas 310 pessoas. De acordo com a diretora do Hemepar, Liana Andrade Labres de Souza, em dois ou três dias o estoque pode acabar.

“Necessitamos que as pessoas continuem a doar sangue. Além do coronavírus, enfrentamos um surto de dengue no Estado. Muitos pacientes graves com hemorragia necessitam de plaquetas, que têm validade de apenas cinco dias. Precisamos de doadores diariamente”, enfatizou.

VEJA TAMBÉM – Supermercados podem limitar compras para evitar estocagem por coronavírus

Liana alerta que já existem 157.472 notificações de dengue no Estado, sendo 65.524 casos confirmados em 357 municípios. Em 147 deles a situação é de epidemia. São 49 mortes de agosto de 2019 até agora. Além disso, pacientes com outras enfermidades e em tratamentos graves como câncer, podem ser impactados com a falta nos estoques.

Sem risco de transmissão

Para garantir aos doadores que não há perigo de transmissão do coronavírus durante a espera e a coleta de sangue, algumas medidas foram tomadas na sede do Hemepar.

“Estamos diminuindo ao máximo o tempo de espera para evitar aglomeração. Além disso, separamos as poltronas de doação e as cadeiras da recepção com distância de 1,5 metro. Instalamos bancos nos jardins para espera ao ar livre e vamos instalar uma tenda para que mesmo com chuva as pessoas possam aguardar do lado externo, se preferirem”, destacou a diretora.

Além disso, está sendo redobrado o cuidado com a ventilação do ambiente e a higienização.

Como prevenir a contaminação por coronavírus

  • Lavar as mãos com frequência/ ou utilizar álcool 70%, principalmente antes de consumir algum alimento;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter ambientes bem ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
  • Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis, e depois lavar as mãos).

Baixe o guia de prevenção para compartilhar!

Imprima esse guia em PDF com informações sobre a prevenção do Coronavírus e outras doenças respiratórias virais: