Dois hospitais de Curitiba começaram a semana com 100% de ocupação em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinadas aos pacientes com covid-19. Um é Hospital do Idoso e o outro é o Hospital Evangélico Mackenzie, considerado uma das unidades de saúde mais importantes da capital. Outros centros médicos como Erasto Gaertner, Trabalhador, Clínicas e Reabilitação também estão próximos de atingir a lotação completa (veja lista abaixo). A taxa de ocupação das 293 vagas em UTIs do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivas para covid-19 atualmente chega a 91%, segundo .  

O caso mais complexo é no Hospital do Idoso, pois não tem vaga na UTI ou enfermaria. No total, são 100 vagas para pacientes infectados pelo novo coronavírus. A situação é bem semelhante à do Evangélico Mackenzie, que só tem quatro vagas na enfermaria. Dos 33 leitos de extrema emergência, todas estas lotadas.

Em outros hospitais da capital, a ocupação já chega ou supera a 90%. No Erasto Gaertner, das dez vagas de UTI, nove estão ocupadas. Enfermaria são quatro que podem ainda ter atendimento. No Trabalhador, só uma UTI está livre e enfermaria tem seis disponíveis. No Hospital das Clínicas, dos 61 leitos de UTI, 58 estão sendo utilizados. Já a enfermaria, quatro pacientes podem aparecer para ter atendimento. Por fim, no Centro de Reabilitação do Paraná que integra o Hospital do Trabalhador, das 52 vagas de UTI, 48 estão preenchidas. Na enfermaria, estão livres seis leitos.

Variação normal

Esta variação de ocupação e liberação de leitos é considerada normal pelas autoridades de saúde. Um exemplo disto ocorreu há duas semanas quando o Hospital Cruz Vermelha estava com 100% de ocupação e poucos dias depois tinha mais de 50% de vagas disponíveis. “Todo internamento hospitalar pode evoluir para uma alta ou infelizmente, a pessoa pode ir a óbito. Não existe de fato uma padronização, pois cada paciente tem seu tempo de recuperação. Não depende da gestão do hospital e sim dessa variação no quadro clínico da pessoa. Vale ressaltar que isto não ocorre somente agora com o novo coronavírus. Se acontecer um grave acidente na cidade, os leitos de UTIs podem ser requisitados e aí aumentar a ocupação nos hospitais”, disse Vinícius Filipak, diretor de Gestão em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa).

Para esta semana, o prefeito Rafael Greca anunciou novos leitos na cidade. Os primeiras 40 já estão ativos desde a semana passada no Instituto de Medicina do Paraná (IMPR) e outros estarão disponíveis a partir de quarta-feira (15) no Hospital São Vicente.

Ocupação Hospitais em Curitiba, litoral e região metropolitana

Hospital Cruz Vermelha: 14 leitos de UTI com 12 ocupados (85%). Enfermaria sem vagas

Hospital Santa Casa: 35 vagas de UTI com 22 ocupados (63%). Enfermaria com 30 vagas e 15 ocupados (50%)

Hospital Municipal de São José dos Pinhais: dez leitos de UTI com sete ocupados (70%).

Hospital Regional do Litoral: 14 leitos de UTI com dez ocupados (71%). Enfermaria com 10 leitos e cinco ocupados (50%).

Hospital do Rocio em Campo Largo: 103 leitos de UTI com 97 ocupados (94%). Enfermaria com 212 leitos com 104 ocupados (49%).

Hospital São Lucas Parolin em Campo Largo: 100% de UTI ocupado. Enfermaria com 10 leitos e oito ocupados ( 80%).


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?