O tenente-coronel da Polícia Militar (PM) do Paraná e médico Fernando Dias Lima, conhecido como “Doutor Bacana”, acusado de abuso sexual, foi absolvido pelo Conselho Especial de Justiça Militar dos crimes de atentado violento ao pudor e assédio sexual contra mais de 40 vítimas. Segundo o G1, a informação foi confirmada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) nesta sexta-feira (25). O julgamento, que durou cerca de 12 horas, terminou na noite de quinta-feira (24), em Curitiba.

+Leia mais! Envolvido na morte de Ana acompanhava passos da vítima e repercussão do crime. Polícia divulga prints

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) informou que pretende recorrer da decisão ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) por “discordar frontalmente da sentença”. Conforme a promotoria, apesar das “provas razoáveis” foi dito que o processo decorreu “de um complô articulado por integrantes da Polícia Militar para prejudicar a imagem e a honra do oficial”.

O militar está afastado da função pública, mas continua recebendo salários. Conforme o Portal da Transparência do Governo do Paraná, ele tem dois vínculos ativos – como tenente-coronel e como promotor de saúde profissional – com vencimentos mensais de R$ 29.323,76. Após o fim da tramitação do processo, caso seja confirmada a absolvição, ele poderá voltar a trabalhar na corporação.

+Viu essa? Casa Cila, tradicional loja do Centro de Curitiba, anuncia fechamento após 75 anos

O advogado de defesa do militar, Zilmo Girotto, afirmou que a absolvição foi por unanimidade, com 5 votos a zero. Ele disse que o médico foi absolvido porque não existiu crime, mas que só vai se pronunciar após a decisão definitiva do processo, que tramita em sigilo. Procuradas, a Polícia Militar e a Justiça Militar informaram que não vão se manifestar, visto que o caso está em sigilo.