Tiroteio por motivo passional provocou pânico na Praça Carlos Gomes, no coração da cidade, na tarde de ontem. Dois homens chegaram a pé e dispararam contra os ocupantes de um Citroën C3 preto. O motorista do carro teria revidado. Foram cerca de oito disparos em pleno horário de almoço. Dois deles estilhaçaram a porta de vidro do jornal Gazeta do Povo. O suspeito de atirar foi detido e encaminhado ao 1º Distrito Policial. Segundo a polícia, ele seria ex-marido da mulher que estava no veículo, com o atual namorado.

Imagens das câmeras de monitoramento mostram o momento em que o motorista, duas mulheres e um homem entram no veículo, estacionado em frente ao jornal, pouco antes das 13h. Dois homens se aproximam do carro a pé e, depois de aparentemente falar algo para os ocupantes, um deles dispara várias vezes. Uma das mulheres sai do C3 e se joga no chão para evitar as balas. O atirador tenta se proteger atrás de outro veículo.

A pistola calibre 380 usada pelo atirador foi jogada, descarregada, dentro do prédio da Gazeta do Povo. Pouco depois dos tiros, o veículo saiu e os dois rapazes fugiram a pé. Um deles, identificado como Jhonny Roxo do Nascimento Sacavem, foi alcançado por policiais militares e detido na estação-tubo da Rua Lourenço Pinto. Ele usava tornozeleira para o monitoramento de presos em regime semiaberto.

O outro atirador foi visto descendo a Rua Pedro Ivo. Vestia bermuda, moletom vermelho e boné. Depois de efetuar os disparos contra o veículo, ele colocou a pistola no bolso da frente do moletom e deixou o local caminhando. Depois da Travessa da Lapa, não foi mais visto. O ferido foi levado no C3 até o hospital. De acordo com a polícia, uma arma foi apreendida dentro do carro.

População aglomerada no Centro após a troca de tiros. Foto: Aliocha Maurício.

Corsa

Testemunhas apontaram para os policiais o Corsa cinza, estacionado nas proximidades, no qual os atiradores teriam chegado. O veículo passou por perícia do Instituto de Criminalística, a fim de retirar possíveis impressões digitais dos suspeitos. No local do tiroteio, a polícia recolheu pelo menos oito cápsulas.

De acordo com o delegado Janderson Janine, do 1.º DP, o rapaz preso marcou encontro com a ex-mulher na praça. “Chegando lá, ela estava com o namorado atual. Não sabemos se houve um desentendimento anterior, mas houve troca de tiros entre o atual e o ex”, afirmou. Um dos homens que estava no veículo foi baleado, mas, de acordo com o delegado, não há certeza se era o atual da moça ou o amigo dele.

Pânico

“Houve grande quantidade de tiros, o que gerou temor por parte dos populares que estavam no local”, ressaltou Janderson. A área onde ocorreu o tiroteio ficou isolada por cerca de duas horas. Um comerciante, que preferiu não se identificar, contou ter ouvido os estampidos. “Pensei que fossem fogos. Aí vi o cara com a arma na mão, atirando contra o carro. A moça juntou algo no chão e entrou no veículo, e eles saíram”, contou. “Dava para ver que o homem que atirou estava bem nervoso”, comentou. “Na hora não fiquei com medo, mas depois foi passando a adrenalina e meu deu uma sensação ruim”.

O vendedor ambulante Emanoel Ribeiro afirmou que não ouviu nenhuma discussão, apenas os tiros. Ele e a mulher, grávida de oito meses, abaixaram-se para se proteger. “É melhor que a gente faz para evitar bala perdida”.

Um suspeito, que recebeu indulto de Natal, foi preso nas proximidades. Foto: Aliocha Maurício.

<,/div>