Os governos municipal e estadual assinaram a ordem de serviço para a retomada das obras de duplicação da Rodovia da Uva (PR-417) nesta segunda-feira (14), no Palácio Iguaçu, sede da administração estadual. A via é uma das principais ligações entre Curitiba e Colombo, na Região Metropolitana (RMC).

A obra, de 6,2 quilômetros custará R$ 32 milhões aos cofres públicos, dinheiro que será repassado ao governo do Paraná pelo Banco do Brasil através do convênio Proinveste. A previsão de conclusão das obras é para um ano.

Segundo o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, a rodovia facilitará a ligação entre as duas cidades, uma das principais cidades da região metropolitana, e fortalecerá a ideia de integração entre os municípios. “Uma das mais importantes ligações metropolitanas de Curitiba. Em Colombo está a maior força de trabalho ao norte de Curitiba. Por isso é tão importante que essa obra aconteça e que tenhamos cada vez mais essa visão de infraestrutura urbana, uma visão de integração, porque Curitiba é uma só”, destacou.

Para a governadora Cida Borguetti, o pensamento dos governos deve ser em torno da facilidade que a obra vai gerar nos deslocamentos naquela área. “O que mais importa são a milhares de pessoas que serão beneficiadas com essa obra de mobilidade urbana, trabalhadores que dependem dessa ligação para seu ir e vir, com segurança e rapidez. Essa obra não se traduz em números, se traduz em mais conforto e qualidade para a vida dos paranaenses”, completou.

Além da duplicação da pista, obras de revitalização no entorno também estão no projeto. Ao longo da via, serão feitas também ciclovias e calçadas com rampas de acesso, semáforos, iluminação, canteiro central e paisagismo.

Alvos do descaso