A diretoria da Electrolux se reuniu ontem para avaliar os prejuízos do incêndio e discutir formas de repor a grande quantidade de produtos destruídos a tempo das festas de fim de ano. Valores do prejuízo não foram divulgados. A multinacional confirmou apenas que o barracão queimado tinha seguro. O Paraná Online apurou que o material estocado no depósito da CIC era destinado a abastecer as redes varejistas brasileiras para o verão, época do ano em que a fabricante historicamente registra as maiores vendas de geladeiras e freezers.

Preocupado com as consequências do episódio, o sindicato que representa os empregados, Seletroar, recebeu da empresa a garantia de que não haverá demissões. Pelo contrário. Segundo o presidente do Seletroar, Paulo Bastos, existe até a possibilidade de ampliar o quadro de pessoal. “Vão ter até que contratar mais pessoas para compensar as perdas”, avalia. Na unidade atingida pelas chamas, trabalhavam cem pessoas. Mas de acordo com Bastos, a multinacional tem outros barracões onde estoca produtos na capital.

A Electrolux tem quatro fábricas no Brasil, cada uma com um foco.