Um casal foi executado a tiros, por volta de 1h40 de sábado (26), no Boqueirão. A primeira a ser morta foi a mulher, a balconista Elisiane Benites, 24 anos, que estava na Rua Cleto da Silva. Ela levou três tiros e estava acompanhada de James Roberto Mocelin, 25, que portava documentos em nome de Thiago Costa Calisto, 23 anos. Depois dos tiros que mataram a mulher, ele correu até a esquina da Rua José Peixoto de Lacerda Werneck, onde foi alcançado e executado com 13 tiros.

A Delegacia de Homicídios investiga a autoria e motivação do crime. Sabe-se apenas que a mulher teria se envolvido numa briga anteriormente, o que pode ter motivado a dupla execução. Várias cápsulas de pistola foram apreendidas no local do crime.

Outras duas pessoas foram assassinadas em Curitiba entre o final da noite de sexta-feira e o início da manhã de sábado. No Sítio Cercado, Alyson Fernandes Braz, 18 anos, estava num ponto de venda de droga, na Rua Doutor José de Almeida de Pimpão, quando foi surpreendido pelo assassino. Ele levou três tiros na cabeça e barriga.

Depois dos disparos, testemunhas, viram uma motocicleta deixando o local. De acordo com a polícia, Alyson saiu de casa havia duas semanas para morar com amigos.

Ciúmes

No Tatuquara, Endrel Jackson de Oliveira Garanhani, 22 anos, foi executado a tiros, por volta das 6h, na Rua Enette Dubard. O vigilante Sebastião de Oliveira dos Santos, 55 anos, foi preso com um revólver calibre 38 e levado ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul). De acordo com apurado pela Polícia Militar, a motivação do crime seria passional, já que o rapaz teria assediado a mulher de Sebastião e conversava com ela quando foi morto. A família da vítima, inclusive, comentou que o homem já teria ameaçado Endrel de morte.

O crime aconteceu próximo a companhia do 13.º Batalhão da Polícia Militar. Os policiais chegaram a escutar os disparos e conseguiram prender o suspeito em flagrante.