A Guarda Municipal de Curitiba realizou 32 prisões de tarados pelo crime de importunação sexual e por atos obscenos, desde o início do ano, na capital. Deste total, 11 destes casos ocorreram dentro do transporte coletivo, com atendimento no terminal de ônibus ou na estação-tubo mais próximos. Em 2020, foram feitas 38 prisões foram feitas por equipes de guardas municipais pela mesma natureza criminal, das quais 14 dentro do ônibus.

O mais recente deles, registrado na manhã do dia 1º de outubro, ocorreu no Ligeirão Santa Cândida/Capão Raso. Após denúncia da vítima, de 47 anos, o motorista parou o ônibus no Terminal Cabral para o registro da ocorrência pelos guardas municipais. O suspeito tinha 41 anos.

+Lembra deste caso? Homem flagrado “passando a mão” em ciclista é preso no interior do Paraná

Outro caso recente atendido pelos guardas municipais foi na madrugada do feriado de 12 de outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida. Na Rua Conselheiro Laurindo, no Centro, os guardas prenderam um homem de 29 anos suspeito de importunar uma mulher de 51 anos, funcionária de um estabelecimento onde o indivíduo tentou forçar a porta para entrar.

“É imprescindível que a comunicação oficial do crime aconteça de maneira imediata, para que o suspeito possa ser abordado no local da denúncia. No caso do crime praticado dentro do ônibus, a abordagem normalmente é feita na parada seguinte do veículo”, informa o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Péricles de Matos.

O que fazer em caso de assédio?

Assessoria de Direitos Humanos e Políticas para as Mulheres distribuiu panfletos de combate a Importunação Sexual no Terminal Pinheirinho e na Regional.
Assessoria de Direitos Humanos e Políticas para as Mulheres distribuiu panfletos de combate a Importunação Sexual no Terminal Pinheirinho e na Regional. Foto: Daniel Castellano / SMCS.

Nesta quarta-feira (20) a Assessoria de Direitos Humanos e Políticas para as Mulheres fez uma mobilização no terminal de ônibus e na Rua da Cidadania do Pinheirinho, em Curitiba. O Objetivo era disseminar informações e orientar a população sobre o que fazer em casos de assédio e de importunação sexual. 

+Viu essa? Em um único dia, dois tarados vão parar na delegacia por importunação sexual no Inter 2

A busca por ajuda pode ser feita por quem for vítima do crime ou, ainda, por pessoas que presenciem o ato em ambiente público. Com a equipe da Administração Regional do Pinheirinho foi entregue um material explicativo sobre o assunto. 

“Nossa mobilização marca o compromisso de explicar quando a importunação sexual acontece, para que as pessoas possam ter conhecimento, compartilhar, garantir direitos, respeito e divulgar os canais de denúncia que existem em Curitiba”, afirma a assessora municipal de Políticas para as Mulheres, Elenice Malzoni. Ela reforça que a importunação sexual é crime e precisa ser denunciada.

A assessoria vem acompanhando o crescimento de mulheres vítimas desse tipo de crime e a escolha do terminal e da Rua da Cidadania tem o objetivo de atingir o grande público que passa diariamente por ali. 

“Dentro do ônibus, ao ser vítima ou ver outra pessoa passar por esse constrangimento, deve-se avisar o motorista para que ele então feche a porta do ônibus e acione a Guarda Municipal, que tem a atribuição de levar o indivíduo preso”, orienta Elenice.

Relato impressiona!

A passageira Maria Madalena Pontes Santos relatou já ter ido para a Delegacia da Mulher formalizar denúncia contra um indivíduo de cerca de 40 anos que tentou assediá-la dentro do ônibus. “Aconteceu há cerca de dois anos. O ônibus parou, ele desceu e eu fui atrás por umas cinco quadras, chorando. Consegui bater nele, até que passou uma viatura da polícia. Perdi o dia de trabalho, mas denunciei o crime”, relembra a mulher vítima de importunação sexual no transporte coletivo.

Na delegacia, foram encontrados nos bolsos do suspeito papel higiênico e estimulante sexual. Madalena também falou sobre o caso em uma rede social dela, na época. 

Denuncie!

Guarda Municipal (atendimento 24 horas por dia): 153

Polícia Militar (atendimento 24 horas): 190

Assessoria de Direitos Humanos – Política para Mulheres – (41) 3221-2746
Rua Barão do Rio Branco, 45 – 9º andar

Casa da Mulher Brasileira (atendimento 24 horas): (41) 3221-2701 e 3221-2710 
Avenida Paraná, 870 – Cabral

Delegacia da Mulher: (41) 3221-2742 e 3221-2745 
Avenida Paraná, 870 – Cabral

Delegacia de Crimes Cibernéticos: 3304-6800
Rua Pedro Ivo, 672 – Centro

Web Stories

Pega Pega

Sérgio avisa a Erica que o juiz o liberou sob fiança

Conhece?

Bosques de Curitiba são ótimas opções de passeios

Império

Vicente pede Maria Clara em casamento

6 boas dicas!

Quer emagrecer de graça em Curitiba? É possível!