Comerciantes do Centro de Curitiba têm reclamado do aumento da criminalidade na região localizada entre a Rua Saldanha Marinho e a Alameda Prudente de Moraes. Segundo eles, os dois principais problemas são o “tempo curto” de policiamento e a iluminação pública, que vem deixando a desejar. Nas últimas semanas, de acordo com os comerciantes, a área tem ficado mais perigosa com o aumento de assaltos na rua, arrombamentos de veículos e furtos dentro dos estabelecimentos. 

+Leia mais! Fiscalização encontra “goró pirata” e soco inglês em bares de bairros boêmios de Curitiba

Um vídeo que circula no grupo de Whatsapp dos comerciantes, feito há cerca de dez dias, mostra o momento em que um suspeito pega um celular do lado interno do balcão de um bar. Num momento de distração, o aparelho é furtado e o suspeito segue conversando com o garçom como se nada tivesse ocorrido.

“Notamos que houve esse aumento da criminalidade por aqui. Nas últimas semanas, a sensação é de insegurança. Soubemos de três assaltos à mão armada. É uma região com muita concentração de gente, inclusive à noite. Não podemos ficar desamparados”, reclama o empresário João Guilherme Rebellato, 38 anos, dono de uma bar de cerveja e vinho na região.

Ainda conforme Rebellato, falta um policiamento mais presente por ali. “Tem que aumentar o patrulhamento, de repente algo fixo, e a iluminação pública. São muitos bares. Tem que ter uma viatura mais tempo, sabe? A polícia fica muito pouco tempo”, lamenta o empresário, reforçando o pedido por melhoria na iluminação pública.

+Viu essa? Jockey Plaza Shopping, em Curitiba, anuncia 14 novas lojas, além da Starbucks

Outra que reclama da insegurança nas proximidades das ruas citadas é a empresária Marcella Sperandio, 32 anos, do ramo de restaurantes. Ela conta que, na última terça-feira (23), levaram um carro num assalto armado em pleno final de tarde. “Era quase 19h, mas não tinha nem escurecido ainda. A região sempre foi carente nesse sentido, mas sentimos que a falta de segurança vem aumentando nas últimas semanas”, diz.

saldanha marinho assalto
Trecho da Rua Saldanha Marinho onde ocorreram os três assaltos, segundo os comerciantes. Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com ela, muitos arrombamentos de carros têm ocorrido. “Mais perto da Prudente, onde fica mais escuro, quando passamos na rua pela madrugada, vemos os carros arrombados, os vidros quebrados. É ruim para nós, mas também é ruim para os clientes, para as pessoas que circulam por aqui. Ficamos expostos a esse tipo de situação”, aponta a Marcella Sperandio.

Os comerciantes explicam que a região do entorno da Prudente de Moraes tem se destacado na retomada econômica da pandemia. Por isso, pedem mais atenção do poder público. “Concordo que falta um policiamento fixo. Somente as rondas, com o policiamento apenas circulando, não vai resolver”, finaliza a Marcela.

O que diz a prefeitura

Segundo a prefeitura, no ano passado, foi implementado na Rua Saldanha Marinho um novo sistema de iluminação pública, com a substituição de lâmpadas de vapor de sódio por LED. Além disso, de acordo com a prefeitura, a Saldanha Marinho e a Prudente de Moraes fazem parte de um conjunto de vias que serão contempladas pelo projeto chamado “Caminhar Melhor”, dentro do Programa de Mobilidade Urbana da cidade. O projeto inclui novas estruturas de calçadas e ciclovias.

“Além de melhorias na iluminação, o projeto prevê novas calçadas e paisagismo, recursos para a requalificação das vias, drenagem, sinalização viária horizontal, vertical e semafórica, iluminação pública, contenção e infraestrutura para rede de fibras óticas. Os projetos executivos estão em fase final de elaboração e as obras serão licitadas no próximo ano”, diz a nota envia à Tribuna.

E aí, Polícia Militar?

Procurada, na quarta-feira (1.º) a PM explicou em nota que a região central de Curitiba recebe policiamento, dia e noite, do 12.º Batalhão da PM, responsável pela área, e das equipes do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) com abordagens e patrulhamento ostensivo para inibir crimes. Além disso, segundo a PM, operações policiais preventivas são desencadeadas rotineiramente na cidade, abrangendo  o Centro. 

A PM também orientou que as pessoas façam o acionamento das ocorrências pelo 190 ou pelo aplicativo 190 PR, para que haja o atendimento. “No caso de situações já passadas, o cidadão deve ir até uma Delegacia de Polícia para fazer o Boletim de Ocorrência, pois a análise criminal da PM é feita com base no registro desse documento”, finaliza a nota.

Web Stories

Estreias da semana

Final de La Casa de Papel chega nesta sexta na Netflix, confira lista!

Você sabia?

Conheça 7 curiosidades sobre o Oil Man

Cuidado

O Cravo e a Rosa volta dia 06 de dezembro; conheça curiosidades sobre a novela

Nos Tempos do Imperador

Leopoldina descobre que está grávida