Uma estudante de Medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), foi selecionada para uma comissão das Organizações Unidas (ONU) para debater a situação das mulheres em todo o mundo. Milena Santana, de 24 anos, foi escolhida após um rigoroso processo de seleção e terá a oportunidade de representar as mulheres curitibanas na reunião que irá acontecer em março na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. Para isso, no entanto, precisa da ajuda de todos aqueles que acreditam na força das mulheres e numa sociedade sem distinção de gênero.

O custo da viagem precisa ser bancado pela estudante, mas sozinha ela não irá conseguir. Com o objetivo de arrecadar R$ 6.500,00 ela lançou uma “vaquinha virtual” e tem mais 53 dias para juntar o valor necessário. Até esta terça-feira (18) foram arrecadados R$ 1.900,00 e a expectativa para atingimento da meta é muito grande (e otimista).

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Em entrevista ao site Maria Vai e Faz, Milena destacou a importância da reunião para o empoderamento feminino, afinal trata-se de um dos maiores eventos do tipo no mundo, reunindo lideranças, organizações não governamentais, ativistas e simpatizantes da igualdade de gênero. A classificação para participar da reunião pegou a estudante de surpresa. Ela foi avaliada pelo desempenho acadêmico, o interesse pela temática e uma proposta de artigo enviada. O trabalho aborda o machismo na saúde pública, desde o ensino médico até o atendimento no sistema de saúde.

“Meu interesse pelo assunto veio das minhas ações através do coletivo Maria Falce de Macedo, o coletivo feminista de Medicina da UFPR, além de algumas participações em mesas redondas sobre a saúde da mulher, organização de evento sobre saúde da mulher negra e participação de uma aula pública junto à Frente Feminista de Curitiba”, afirmou a estudante.

“Eu espero aprender muito e voltar com uma bagagem para continuar contribuindo localmente, direta ou indiretamente, na vida de outras pessoas. Diretamente, através de ações locais e eventos; e indiretamente, atuando na educação médica para que possamos melhorar cada vez mais as questões relacionadas à saúde da mulher”, definiu ao site Maria Vai e Faz.

A vaquinha virtual pretende arrecadar o valor estimado para custear passagens, hospedagem e alimentação da jovem nos Estados Unidos.

Quer ajudar a estudante curitibana a realizar este sonho e contribuir por um mundo melhor para todos? Então acesse esse link e dê sua contribuição.

Pomada contra veneno da aranha-marrom é desenvolvida por brasileiros