Um abrigo que pode ser dobrado e levado debaixo do braço promete ajudar a vida das pessoas que moram nas ruas. Este é o projeto de estudantes do Curso Técnico em Edificações do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP), premiado na Feira de Inovação das Ciências e Engenharias, promovido pela Usina de Itaipu.

+Caçadores! Após arte, muralista vira celebridade e passa a ser requisitado em todo o Brasil!

Desenvolvido pelos estudantes Allan Ernesti, Leonardo das Neves, Thiago Bronoski de Oliveira e Udson Ribeiro, o abrigo emergencial é sustentável, impermeável, com isolamento térmico e com custo extremamente baixo. O material utilizado por eles é bastante comum e presente na casa de muitos brasileiros: as caixinhas de leite vida longa e, para criar um abrigo, são necessárias 140 caixinhas e um ferro de passar roupas.

“A caixinha é feita de plástico polietileno, papelão e alumínio. Cortamos as embalagens num tamanho padrão e, quando temos a quantidade necessária, sobrepomos uma na outra. Com o auxílio de um paninho e um ferro de passar roupas. Com muito cuidado, unimos as caixinhas, já que o calor do ferro derrete o plástico e faz as vezes de cola”, explicou Thiago Bronoski. Segundo ele, a técnica não deixa frestas no abrigo, o tornando termicamente mais eficiente. O projeto foi orientado pelo professor Gesse Lima e pelo ex-aluno do Ceep Juliano Jonas.

+Viu essa? Uber diminui acidentes, mas aumenta consumo de álcool, diz pesquisa!

Sobre o isolamento térmico, os estudantes explicaram que a temperatura no interior do abrigo fica entre os 20 e 22 graus. O produto utilizado por eles no projeto tem uma vida útil de seis meses, se utilizado diariamente.

O próximo passo dos estudantes é aprimorar o abrigo e a criação de uma esteira, para que os moradores de rua não fiquem deitados diretamente no chão.

Foto: Divulgação/AEN.
Foto: Divulgação/AEN.

Curitiba terá manhã de sol, mas chuva chega no começo da tarde!