A Justiça acolheu a denúncia que incrimina o ex-marido da gerente de banco Tatiana Lorenzetti, Antonio Henriques dos Santos, e outras três pessoas, por feminicídio qualificado pela promessa de recompensa, motivo torpe e por recurso que dificultou a defesa da vítima. Tatiana foi morta com um tiro no rosto em dezembro passado quando saía da agência bancária em que trabalhava, no Capão Raso.

LEIA MAIS – Feminicídio cresce na pandemia e no Paraná 32 mulheres são assassinadas em 2020

Com a decisão, proferida pelo juiz Daniel Ribeiro Surdi de Avelar, da 2.ª Vara do Tribunal do Júri da Região Metropolitana de Curitiba, Santos, suspeito de ser o mandante do crime, mais Moisés Gonçalves, Thales Serafim e André Luiz Correia Barbosa tornam-se réus no processo.

Apontado pela polícia como quem realizou o disparo que levou Tatiana à morte, Jonathan Alves da Silva foi morto em confronto com a polícia no dia do crime. Na mesma decisão, o juiz decretou a prisão preventiva de todos os acusados.