Antônio Henrique dos Santos, ex-marido de Tatiana Lorenzetti, morta a tiros na segunda-feira (28) em frente à agência da Caixa Econômica Federal, no bairro Capão Raso, em Curitiba, está preso temporariamente pela suspeita de ter encomendado a morte da gerente. Além Antônio, que é ex-campeão brasileiro de luta greco-romana, André Correia Barbosa e Talles Arantes da Silveira Serafim estão detidos preventivamente por supostamente participarem do crime, que é tratado como feminicídio.

+Leia mais! Queda de avião mata quatro pessoas da mesma família no Paraná

O objetivo de Antônio, segundo a Polícia Civil, seria ficar com a guarda da filha e garantir uma indenização do seguro de vida de Tatiana. Um homem que teria participado da ação foi morto ao trocar tiros com a Polícia Militar (PM).

Segundo a delegada Vanessa Alice, responsável pela investigação da morte de Tatiana, a gerente tinha realizado vários boletins de ocorrência neste ano relatando os problemas que estava passando com o ex-marido, inclusive uma tentativa de agressão quando o ex-companheiro arremessou uma pedra em direção ao carro dela.

O objetivo de Antônio, segundo a Polícia Civil, seria ficar com a guarda da filha e garantir uma indenização do seguro de vida de Tatiana. Foto: Reprodução/RPC.

No dia 2 de dezembro, o Ministério Público do Paraná apresentou parte de uma investigação criminal contra suspeitos de tráfico de drogas. A interceptação telefônica apontou a negociação do ex-marido para contratar um homem para matar Tatiana. Na oportunidade, Antônio teria oferecido R$ 70 mil a uma pessoa. Não houve evolução no plano, pois o ex-marido acabou se desentendendo com este primeiro suspeito devido a forma de pagamento.

Com estas informações, a Polícia Civil fez o pedido de prisão para Antônio, mas a Justiça negou. “Estamos investigando o Antônio desde o começo do mês de dezembro quando recebemos a informação que ele estava tentando contratar pessoas para simular um latrocínio (roubo seguido de morte). Quando soubemos da morte de Tatiana, imediatamente começamos a trabalhar na prisão das outras duas pessoas. No interrogatório, elas confessaram a participação e a contratação por parte do Antônio. Ele foi intimado a vir depor e foi decretada a prisão temporária. ”, disse a delegada da Casa da Mulher em entrevista ao Bom Dia Paraná, da RPC, desta quarta-feira.

+ Leia mais: Pai e filhos seguem caminho na PRF e dividem alegrias e lutas da profissão

Dinheiro

No depoimento, André Correia Barbosa e Talles Arantes da Silveira Serafim disseram que receberiam R$ 25 mil pelo assassinato. O valor que não foi pago seria dividido entre o atirador (homem que morreu no confronto com a PM) e os outros dois. Antônio Henrique dos Santos ficou em silêncio na primeira conversa na delegacia.

A gerente tinha realizado vários boletins de ocorrência neste ano relatando os problemas que estava passando com o ex-marido. Foto: Reprodução/Facebook.

Antônio foi campeão de luta greco-romana

Graduado e pós-graduado em Educação Física, Antônio Henriques dos Santos era um atleta de ponta da luta greco-romana no país e, desde 2006, quando trocou o judô pela luta olímpica, já havia sido sete vezes campeão brasileiro, além de conquistar três medalhas pan-americanas e três medalhas sul-americanas. Como judoca, carreira iniciada aos dez anos, chegou a ser campeão paulista, sul-brasileiro e paranaense. No ano passado, foi vice-campeão de wrestling no campeonato sul-americano, disputado no Chile.

Desde 2018 trabalha como auxiliar de perícia no Instituto Médico Legal de Londrina. Em 2019, dava aulas no Colégio Bom Jesus Internacional Alphaville, em Curitiba, e, em entrevista, falou sobre o esporte como fator de equilíbrio em sua vida: “O esporte me disciplina em minha vida e afazeres. Me faz ser alguém melhor, mais saudável, mais tranquilo e com mais autocontrole. Esse conjunto todo me torna também um professor com ampla visão para o esportista e para o atleta”. Com informações da Gazeta do Povo.