Uma queima de arquivo é a principal linha de investigação da Polícia Civil para o assassinato de Dionatan Frank Ponciano, de 26 anos. O crime aconteceu por volta das 22h30 desta quinta-feira (16), em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba.

Segundo as primeiras informações obtidas pelos policiais civis, Dionatan, que era conhecido como “Dion”, estava dentro de um bar na Rua Amazílio Lavall, no bairro Partenope, quando dois homens chegaram.

“Eles entraram no bar e pediram para que todos saíssem do local. O rapaz tentou sair também, mas eles o seguraram e atiraram”, contou o delegado Hertel Rehbein.

O rapaz foi atingido por alguns tiros dentro do bar e conseguiu correr. Já na rua, ele foi de novo imobilizado por um dos assassinos e, mais uma vez, foi alvo dos disparos. Ao todo, “Dion” foi atingido por seis tiros: três nas costas, um no pescoço, outro na barriga e mais um no rosto.

Passado que condena

O rapaz tinha saído há pouco tempo da cadeia. Antes disso, no mês de junho, esteve preso na Delegacia de Campo Largo e foi encaminhado à Casa de Custódia, em Piraquara, também na região metropolitana de Curitiba. “Dion tinha envolvimento com assalto a mão armada e também com drogas”.

Para o delegado, tudo indica que o crime tenha acontecido motivado por um acerto de contas. “Acreditamos que tenham planejado a queima de arquivo por conta de alguma dívida, possivelmente de drogas. Mas essa é a primeira linha de investigação, que pode mudar conforme as informações forem chegando”, explicou Hertel.

Na manhã desta sexta-feira (17), uma equipe de policiais civis foi atrás de novas informações para apurar ainda mais o homicídio. Além disso, algumas testemunhas que teriam presenciado o assassinato também foram intimadas. Denúncias sobre o crime podem ser passadas diretamente à Delegacia de Campo Largo, pelo 3292-1202.