A ex-primeira-dama do Paraná, Yvone Lunardelli Pimentel, faleceu na manhã desta sexta-feira (8) aos 88 anos. Dona Yvone contraiu coronavírus e estava internada no Hospital Nossa Senhora das Graças desde o final do ano passado, mas acabou não resistindo às complicações da doença.

Dona Yvone foi casada por quase 70 anos com o ex-governador Paulo Pimentel, que assumiu como chefe de estado durante os anos de 1968 e 1971. Ele também testou positivo para a covid-19 e segue internado. Seu estado de saúde é estável.

LEIA TAMBÉM Morre Marcelo Puppi, prefeito de Campo Largo, vítima de covid-19

Neto e vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel, lamentou a morte da avó materna. “É com dor no coração e com um sentimento de grande saudade que recebo a notícia do falecimento da minha avó materna”, disse.

Eduardo lembrou que dona Yvone foi uma pessoa incrível, mulher forte e batalhadora e que conquistou um carinho enorme de todos que a conheceram. “Foi grande conselheira e ajudou muito meu avô Paulo Pimentel a administrar o Paraná entre os anos de 1966 e 1971. A saudade já é imensa, mas sei que está melhor agora ao lado de Deus e da minha mãe Isabel, sua filha”, finalizou.

O prefeito Rafael Greca decretou, nesta sexta-feira (8), luto oficial de três dias em Curitiba pela morte da ex-primeira-dama.

A grande mulher ao lado de Paulo Pimentel

Ela era de poucas palavras, mas sempre decidida, firme, elegante e muito alegre. Essas são as lembranças que a administradora Vera Pimentel, de 58 anos, tem da sua mãe Yvone Pimentel. 

Natural de Araraquara, interior de São Paulo, Dona Yvone conheceu seu marido, o ex-governador Paulo Pimentel, num clube paulistano na capital São Paulo. “Ela contava que adorava ir para São paulo, gostava de viajar bastante,de ir para a fazenda. Ela gostava muito da companhia do meu pai, eles sempre foram muito parceiros”, conta a filha Vera Pimentel. 

Yvone e Paulo Pimentel namoraram por quatro anos e viveram 68 anos casados. “Ela sempre o apoiou. Ela cuidava da casa, dos filhos, enquanto meu pai trabalhava nas campanhas. Ele dizia que tinha que ter muita paciência com ela, porque ela teve muita paciência com ele. Nos últimos anos, onde ele ia, ele a levava”, recorda a filha. 

A cumplicidade e a parceria entre os dois era algo que chamava muita atenção, segundo a filha. “Meu pai sempre disse que para ser um grande homem tinha que ter sempre uma grande mulher. Ela dava o suporte que ele precisava. O amor deles é uma coisa de almas gêmeas, uma parceria linda deles, desde sempre”, revela Vera, emocionada.

A ex-primeira-dama Yvone Pimentel deixa esposo, três filhas, 11 netos e 17 bisnetos.

Políticos lamentam morte

O atual governador do Paraná Ratinho Junior lamentou a morte da ex-primeira-dama Yvone Pimentel. “Minha solidariedade à família e amigos de dona Yvone. Peço a Deus que conforte o coração de todos a quem ela amava. Também anseio pela melhora do ex-governador Paulo Pimentel”, disse Ratinho Junior.

Em sua conta oficial no Twitter, o prefeito de Curitiba Rafael Greca também demonstrou solidariedade aos familiares. “Passou para a Eternidade aos 88 anos +Dona Yvone Lunardelli Pimentel, já primeira-dama do Paraná, avó do Vice-Prefeito Eduardo Pimentel Slaviero. Seja recebida na Casa do Senhor pelo muito que amou”, publicou o prefeito na rede social.