O servente de pedreiro Celso Tavares, 36 anos, foi morto com um tiro na cabeça, por volta de 13h30 de ontem, no final da Rua São José, Jardim Holandês, em Piraquara. Parentes do rapaz contaram à polícia que ele era viciado em crack há bastante tempo e esse pode ter sido o motivo do crime.

O delegado Osmar Feijó, titular da delegacia local, disse que na região são comuns crimes relacionados com o tráfico de drogas. O homicídio aconteceu a menos de 500 metros de uma casa de recuperação. Segundo Marcos, voluntário que trabalha na instituição, a região é muito carente de ajuda, principalmente para quem está viciado no crack.

Internos

“Hoje temos mais de 50 internos, mas já tivemos mais de 100, e a cada dia aparecem mais pessoas pedindo ajuda. Infelizmente, esse rapaz não teve tempo de se libertar”, comentou Marcos. Ele disse que tem 28 anos e, desde os 10, usava diversas drogas.

No crack ficou apenas três anos, tempo suficiente para perder tudo o que tinha. “Quando eu não tinha mais nada, achava que era o fim, procurei ajuda e hoje já estou sem usar droga há nove meses.”