Três meses de notificação, exigindo a saída dos moradores de uma área de proteção ambiental, no Jardim das Graças, em Colombo, não surtiram efeito e na manhã desta quinta-feira (23), o oficial de Justiça precisou do apoio de 150 policiais militares e 22 guardas municipais para que a reintegração de posse acontecesse. Diante das equipes policiais, que chegaram ao bairro por volta das 7h, os moradores da invasão cederam e em poucas horas deixaram as 34 casas pacificamente.

Caminhões da prefeitura, que é proprietária do terreno, fizeram o transporte dos móveis das famílias e retroescavadeiras demoliram das moradias, posicionadas entre o bosque e o campo de futebol do Centro de Convivência Jardim das Graças.

Os invasores estavam construindo barracos e morando na região desde fevereiro, quando outra reintegração de posse, feita pela polícia, retirou parte deles de outra invasão, na Rua Campo do Tenente, à margem do Rio Palmital. Na ocasião, alguns atearam fogo em pneus e resistiram à ação da polícia, mas o tumulto foi controlado e os moradores retirados.

“Quando se instalaram no Jardim das Graças, a prefeitura fez cadastramento. Boa parte dos invasores tem onde morar, mas invade para tentar vender o terreno depois. Alguns vêm de outros estados, se instalam no lote, mas em seguida revendem por valores entre 5 e 7 mil reais. Se flagrados, podem ser autuados por estelionato”, explicou o major Miguel, subcomandante do 22.º Batalhão da Polícia Militar.

De acordo com a polícia, a prefeitura disponibilizou abrigo para as famílias que não tivessem para onde ir, entretanto, não houve nenhuma requisição para uso do serviço. “A maioria voltou para o local de origem”, comentou Miguel.

Arma

Em uma das casas, os policiais encontraram um revólver 38, com número de identificação suprimido. Estava escondido perto da motocicleta de Vanderlei Meira Gonçalves, 27 anos, que foi preso em flagrante por posse de arma de fogo e levado para a Delegacia do Alto Maracanã.