Quatro mil pessoas que dependem dos serviços prestados na farmácia especial mantida pelo governo do estado na Avenida Presidente Kennedy, no bairro Portão, em Curitiba, terão as demandas transferidas para a Farmácia do Paraná, no Centro da capital. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) afirmou que a mudança será feita por causa de uma reforma, mas que, mesmo após o fim das obras, boa parte dos pacientes terá de continuar a buscar medicamentos na unidade da Rua Marechal Floriano Peixoto. Segundo a pasta, a unidade da Av. Kennedy deverá se transformar um centro de especialidades.

A reforma na unidade do Portão terá duração de 2 anos e o investimento será de R$ 7,5 milhões. O local passará a “oferecer atendimentos ambulatoriais de alta resolubilidade, consultas e exames especializados (ortopedia, cardiologia, ginecologia, urologia, enfermagem, nutrição, entre outros), equipe multiprofissional e cirurgias eletivas ambulatoriais”, de acordo com a nota da Sesa.

Mas a notícia de ter que mudar a rotina para manter o tratamento não agradou a diarista Roseneide Pereira Lopes Silvério, de 43 anos, que foi pega “de surpresa” nesta segunda ao tentar retirar remédios na farmácia regional da Kennedy. “Fui avisada que não ia conseguir pegar, que tenho que ir lá na Marechal porque nem renovar a receita consigo mais aqui. Estou revoltada principalmente porque o caminho que eu fazia em 40 minutos agora vai levar duas horas. Sem contar que não sei como funcionam as coisas lá, quanto tempo vou levar. É menos um dia de trabalho no mês”, disse a mulher, que mora no bairro Tatuquara e que faz uso de remédios contínuos contra hepatite B.

A situação foi mais complicada ainda para Maria Rosa de Lima, de 54 anos, que veio de Guaratuba, no Litoral, para retirar remédios em Curitiba. Ela contou ter sido avisada de que teria de pegar os medicamentos no novo espaço, mas, sem dinheiro para ônibus, afirmou que vai voltar para casa de mãos abanando. “Eu vim com a prefeitura. Eles me deixaram aqui e eu não tenho como pegar ônibus e ir para o Centro”, afirmou.

Prédio da Marechal

O prédio da Farmácia do Paraná, que fica na Rua Marechal Floriano Peixoto, funciona desde novembro de 2015 e atende aproximadamente 22 mil pessoas por mês. Com a nova demanda – de quatro mil a mais – a Sesa promete reforçar a equipe que atua no local.

“Estou me preparando para esperar o que for. Lá [na Kennedy] dificilmente a gente chegava e tinha mais de cinco pessoas na sua frente. Aqui está meio desanimador, todo mundo comentando que leva até uma hora e meia de espera”, declarou o aposentado Carlos dos Reis Miguel, de 58 anos. Ele era um dos pacientes atendidos na Kennedy e que precisou adaptar a rotina para aguardar atendimento na Farmácia do Paraná.

Conforme a Sesa, para atender a nova demanda serão chamados, até o final de abril, profissionais do concurso realizado em 2016 pela pasta. Além disso, alguns funcionários da unidade Kennedy também serão remanejados para a unidade.

A secretaria disse que ainda está fazendo um levantamento para apontar o novo quadro de funcionários que vai reforçar a equipe na farmácia da Rua Marechal Floriano Peixoto , mas garantiu que “está tomando as providências necessárias para não ocorrerem problemas no atendimento”.

O prédio da Farmácia do Paraná, no Centro, tem 1.605 metros quadrados, possui 20 guichês para atendimento ao público e cinco consultórios para atendimento individualizado.