A Semana da Páscoa faz com que os muitos troquem a alimentação cotidiana, a base de carne vermelha, por peixes, na Sexta-feira Santa (1). Porém, comprar o pescado exige alguns cuidados.

Para peixes frescos, é preciso observar questões de higiene, como a limpeza do local e os hábitos das pessoas que mexem com o produto, além da temperatura em que o peixe é mantido. Já nos embalados, é necessário observar também a temperatura, além das etiquetas que informam o nome do produto, o conteúdo líquido (quantidade ou volume), a identificação da origem (país ou local de produção), o lote e o prazo de validade.

A gerente técnica de Controle de Qualidade da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), Virginia Afonso Gasparini, explica. “Os pescados frescos e resfriados devem ficar entre -2°C e 2°C. Já se forem congelados e embalados, o consumidor deve observar o que informa o fabricante… As embalagens devem trazer também os selos do serviço de inspeção federal, estadual ou do municipal”.

Bacalhau

Muito procurado neste período, o bacalhau é vendido normalmente resfriado dessalgado, dessalgado congelado e resfriado. Em todos os casos, deve-se ficar atento ao armazenado (limpeza) e à temperatura correta do produto.

Existem no mercado nacional cinco espécies de bacalhau: Gadus morhua (Cod) e Gadus macrocephalus, que são reconhecidas como bacalhau legítimo, e Saithe, Ling e Zarbo.

Cuidados importantes na hora de escolher um pescado:

Higiene – compre apenas em estabelecimentos limpos, com os atendentes uniformizados e que sofrem monitoramento periódico, como os realizados pela Smab no Mercado Municipal, no Mercado Regional e nas feiras da Prefeitura.

Limpeza – observe se o peixe está livre de contaminantes (como areia, pedaços de metais, plásticos, combustíveis, sabão e moscas).

Temperatura – veja se os pescados são mantidos na temperatura recomendada pelo fabricante (refrigerados, congelados ou à temperatura ambiente). Nas peixarias, os balcões devem trazer a indicação da temperatura interna.

Peixe fresco – os peixes frescos têm olhos brilhantes e salientes. As escamas devem ser unidas entre si, brilhantes e fortemente aderidas à pele. As guelras têm que possuir cor que vai do rosa ao vermelho intenso, ser brilhantes e sem viscosidade. O odor do peixe é característico, mas não pode ser repugnante.

Peixe “seco” – é dessecado de forma apropriada sem adição de sal (cloreto de sódio). Ele deve estar armazenado em local limpo, protegido de poeira e insetos, com ausência de mofo, ovos, ou larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, limosidade superficial e amolecimento. Não pode apresentar odor desagradável.

Peixe congelado – os produtos congelados devem ser conservados nas temperaturas recomendadas pelos produtores. No freezer, não devem existir poças de água ou alimentos molhados, pois são sinais de que o equipamento foi desligado ou teve a temperatura reduzida.

Embalagem – se optar por peixes embalados, observe se há etiqueta com o nome do produto, conteúdo líquido (quantidade ou volume que o produto apresenta), identificação da origem (identificação do país ou local de produção daquele produto), o lote e o prazo de validade.

SIF & cia – produtos embalados devem trazer os selos do Serviço de Inspeção Federal (SIF), do Serviço de Inspeção Estadual (SIP) ou do Municipal (SIM).

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação Social

Qualquer irregularidade o consumidor deve denunciar à Vigilância Sanitária do Município pelo telefone 156.

Procurando emprego? Veja as vagas abertas por conta da Páscoa!