A noite de sexta-feira (4) foi de trabalho para a Ação integrada de Fiscalização Urbana (AIFU) . No total, foram 29 autos de infração lavrados com multa de R$195 mil. O campeão nas irregularidades ocorreu em um clube no bairro Umbará, em Curitiba, onde 25 pessoas foram multadas e o responsável foi encaminhado para a delegacia.

A capital paranaense está em bandeira vermelha desde o dia 29 de maio e segue até 9 de junho, com possibilidade de prorrogação das medidas restritivas. De acordo com o boletim divulgado pela prefeitura, os agentes fecharam outros cinco estabelecimentos – uma distribuidora de bebidas no Água Verde, um bar no Parolin, um bar no Pinheirinho, uma lanchonete no Uberaba e um bar e sauna também no Uberaba.

LEIA TAMBÉM:

>> Aeroporto Afonso Pena, na grande Curitiba, identifica sete passageiros com covid-19 em três dias

>> Curitiba tem mais 31 mortes por covid-19. Casos ativos ficam em 10,1 mil

Nessa última, os organizadores da festa clandestina tentaram burlar os agentes de segurança. A porta de entrada estava fechada, mas o som não foi desligado. Dentro do clube, 25 pessoas estavam aglomeradas. O responsável foi multado em R$ 30 mil e encaminhado para delegacia, onde assinou um termo circunstanciado. Além disso, cada pessoa que estava no local recebeu multa de R$ 5 mil por participar de atividades ou eventos que geram aglomerações.

As infrações foram aplicadas com base na Lei Municipal 15799/2021, que responsabiliza e pune quem descumpre as medidas restritivas de enfrentamento à pandemia de covid-19. Desde 5 de janeiro, quando entrou em vigor a lei, a força-tarefa da prefeitura lavrou 1.360 autos de infração e interditou 634 locais em 2.791 fiscalizações realizadas por fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo (nas Aifus e ações com a Guarda Municipal).  Somados os autos chegam a R$ 12.964.800 milhões em multas.

A Aifu acontece a partir da união de esforços dos fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, agentes da Setran, Guarda Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.