O desligamento do sinal analógico de TV já tem data marcada para acontecer em Curitiba e outros 26 municípios da região, incluindo Ponta Grossa e Guaratuba, no litoral. Será à meia-noite do dia 31 de janeiro de 2018. Juarez Quadros, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), esteve na capital paranaense nesta quarta-feira(13) para fazer a entrega simbólica do kit gratuito de conversão para o sinal digital de TV de número 225 mil.

Os kits gratuitos estão sendo distribuídos às famílias beneficiárias de programas sociais do governo. Nos 27 municípios paranaenses que terão o sinal desligado nesta primeira fase, são 369 mil kits do tipo, dos quais 225 mil, ou 60,9% do total, já foram entregues.

Leia mais: Famílias que instalam kit da TV digital podem concorrer a sorteios de R$ 2 mil

Para que o sinal analógico seja desativado, é preciso que 93% de todos os domicílios da região afetada esteja recebendo o sinal digital na data prevista para o desligamento. Em Curitiba e região, a primeira verificação de campo desse dado foi antecipada — normalmente, ela ocorre faltando 60 dias para o desligamento, mas desta vez foi feita com 90 dias de antecedência. Na verificação, foi detectado que 83% dos domicílios já estavam recebendo o sinal digital. A essa altura, com menos de 50 dias para 31 de janeiro de 2018, o prognóstico é bastante positivo, na avaliação de Quadros. “É provável que já esteja em ou tenha passado dos 90%”, disse.

O presidente da Anatel lembrou da importância de efetivamente instalar e ligar o equipamento após sua retirada. “O importante é não só receber o equipamento, mas ligá-lo. Em outros lugares onde já houve o desligamento, as pessoas recebiam o equipamento, mas retardavam a ligação”. O alcance mínimo para viabilizar o desligamento do sinal analógico é universal, ou seja, aqueles 93% com recebimento do sinal digital não se restringe a quem recebe o kit gratuito do governo, mas a toda a população.

Entrega dos kits gratuitos restantes

O Seja Digital, entidade que acompanha a transição dos sinais criada pelas operadoras de TV (que receberão a faixa liberada da TV analógica, de 700 MHz, para o uso em internet 4G), está fazendo a distribuição dos kits gratuitos e prestando orientações ao público em geral acerca da migração para o sinal digital de TV.

Antônio Carlos Martelletto, presidente do Seja Digital, disse que o maior desafio é alcançar a parcela do público que não sabe que tem direito ao kit, os 39,1% que ainda não o retiraram. Para ele, este grupo contém dois perfis: o dos que não sabem que estão contemplados pelo kit digital (beneficiários cadastrados nos programas do governo não necessariamente recebem benefícios) e o dos que já fizeram a conversão por conta própria.

Em ambos os casos, Martelletto recomenda que o interessado ligue para o atendimento do Seja Digital, no número 147 ou pelo site sejadigital.com.br, e tire a dúvida. Para quem já se adiantou e adquiriu equipamentos compatíveis com o sinal digital, a orientação é coletar o kit mesmo assim e repassá-lo a alguém que esteja precisando. Esses canais de comunicação também serve para agendar a retirada do kit. Para tanto, é preciso ter em mãos o NIS (Número de Identificação Social).

O kit é composto pelo conversor, controle remoto, extensão de cabo e antena UHF e pode ser instalado por qualquer um, com o auxílio do Seja Digital. A única parte que talvez precise de um profissional é a instalação da antena; nesse caso, o órgão pode auxiliar na indicação de profissionais capacitados para a realização desse serviço.