Dez dos doze postos de combustíveis fiscalizados na semana passada em Curitiba e Campo Largo, em operação coordenada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, tinham irregularidades. O objetivo da operação foi verificar a qualidade do combustível comercializado na Grande Curitiba, além de conferir irregularidades nas bombas ou na documentação (sonegação fiscal) e contaminação ambiental.

Dois estabelecimentos tiveram suas atividades paralisadas por falta de licença ambiental, entre outros problemas – e dois foram autuados. As multas aplicadas totalizam R$ 22 mil.

A fiscalização também lacrou, interditou ou reprovou 12 bombas. As outras irregularidades apuradas incluíram vazamento em bicos; ausência de mangueiras à prova de explosão; falta de sistema de contenção, que evita a contaminação do solo em caso de vazamento; ausência de alvará (tanto da prefeitura quanto dos bombeiros); e diferenças ou impossibilidade de comparar estoques escriturais e físicos.

Participaram da ação funcionários da Agência Nacional do Petróleo (ANP), do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem), e outros órgãos.