O frango assado crocante do Combate Barreirinha chegou em 2021 atingindo a maioridade e com enormes perspectivas para o futuro. A força de uma família envolvida por completo no negócio é o principal segredo para atrair, nos fins de semana, aproximadamente 400 pessoas interessadas no prato. A iguaria levou o nome do time e do bairro para muito além da Avenida Anita Garibaldi, onde fica localizada a sede do tradicional clube do futebol suburbano de Curitiba.

O início desta tradição de 18 anos do frango empanado com fubá, carne macia e suculenta por dentro com casquinha crocante por fora não aconteceu por acaso. Em 2003, Nilton Choinski, um centroavante que marcava seus gols nos campos da suburbana, foi convidado por Sérgio Rausis, então presidente do Combate para arrendar o bar da sede social. Desempregado aos 45 anos e precisando levar sustento para a casa, Nilton usou da experiência em trabalhos anteriores e dos gramados para colocar a bola no ângulo.

+Viu essa? Já pensou em passar o final de semana na “casa” do Hobbit, de O Senhor dos Anéis?

“Eu comecei a trabalhar com 13 anos em uma lanchonete no Centro de Curitiba, ali na Cândido Lopes com a Dr. Muricy e aprendi muita coisa. Aí fui trabalhar em escritório, transportadora, embalagens, mas perdi o emprego e saí com uma mão na frente e outra atrás. Não tinha dinheiro nem para comprar uma cerveja, mas a direção do clube ajudou e arrendei o bar. O pessoal antigo que cuidava deixou um forno e ali começou. Um amigo que é dono de mercado auxiliou no frango e aceitou minhas condições que não eram boas”, relembra Nilton.

Com uma “televisão de cachorro” como é popularmente conhecida, o dono do bar do Combate começou a atrair a freguesia da Barreirinha com o frango assado. Usando o tempero dos tempos que fazia churrasco ao lado do pai Vicente, Nilton contou com uma dica de um amigo que alterou o rumo do estabelecimento. “O meu amigo Adilson deu a ideia de usar fubá antes de colocá-lo para assar. O tempero é caseiro mesmo com cebola, alho, cheiro verde, sal, pimenta, vinagre de vinho e orégano”, explicou o proprietário do Assados Combate, nome atual do estabelecimento.

Com o boca boca, a clientela aumentou e o frango começou a ganhar fama pelo bairro e depois por toda a cidade. Atualmente, são vendidos 400 frangos assados a cada fim de semana e metade são reservados com antecedência por telefone. A curiosidade é que a cada pedido, um palito é colocado no frango, desta forma, não existe o perigo de algum cliente chegar lá e não ter mais o prato. Para atender a demanda, a esposa Carmen comanda a cozinha e os filhos Felipe, Gustavo, Juliana e Leandro se revezam na correria juntamente com as cunhadas e até a neta Lívia participa ao levar maionese para a geladeira. Aliás, Felipe abriu uma filial do Assados Combate no bairro Ahú e faz sucesso desde março de 2019.   

Trabalho na madrugada

Depois de deixar o frango marinando no tempero durante a noite, a responsabilidade de pegar a ave e passar no fubá é do Erlei Raul Ronfeld, 56 anos, morador da Barreirinha. Ele chega no trabalho às 4h30 da manhã e começa a empanar todos os frangos para depois colocar no forno (hoje são oito) ao lado do Gustavo, filho do Nilton. Além do tradicional frango que costuma pesar dois quilos e custar R$38 a unidade, outras carnes consideradas mais nobres também são assadas e precisam ser manuseadas com atenção.

Após colocadas no forno e ficarem prontas, todos ajudam no atendimento aos clientes e a correria passa a ser desenfreada a partir das 11 horas. “É um trabalho pesado, mas gratificante demais. Representa a amizade que a gente tem com os clientes e tratamos como amigos. Conheço até o gosto das pessoas que deseja um frango mais clarinho ou mais crocante e assim segue até o fim do expediente”, comentou o assador que ainda trabalha com refrigeração nos dias de semana.

+Inusitado! Não é meme nem fakenews. Picolé de Coxinha é novidade de rede curitibana

A grande maioria dos fregueses são antigos e o frango faz parte do cotidiano, especialmente no almoço aos domingos. A vendedora Ana Paula Mascheo, 47 anos, costuma chegar antes do meio-dia para garantir a refeição e não ficar muito tempo na fila. Com a pandemia do novo coronavírus, o chão da rua está marcado para garantir o distanciamento entre as pessoas. “Pego todos os domingos e serve para a nossa casa e não sobra para o jantar. O tempero é o diferencial e a casquinha é impossível fazer igual. O segredo não descobri ainda”, brinca Ana.

Frango na Ana Maria Braga

Em 2018, o frango venceu o limite do bairro e foi parar no programa da Ana Maria Braga, da TV Globo. Com a exposição em rede nacional, a procura e as vendas explodiram. Até hoje, pessoas de vários lugares do Brasil conversam com o Nilton para pegar uma dica do preparo ou mesmo qual forno comprar para assar a carne. Liana Lima, 52 anos, reside em Salvador, e conheceu o frango empanado pela televisão. Em março, pretende vir para Curitiba, cidade que morou por 14 anos, e comer novamente a delícia da Barreirinha. “Morei aí por 14 anos e tive oportunidade de experimentar. Anos depois, já morando aqui na Bahia, por acaso eu o vi na Ana Maria e me interessei em pegar o contato para quando retornasse em Curitiba poder comer novamente o agora famoso frango crocante. Estou me programando para ir para Curitiba em março e estou ansiosa. Meu marido adora frango e queremos ter esta aproximação. Salvador tem uma gastronomia rica e a gente não come caruru e vatapá todo dia”, reforça Liana por telefone com a Tribuna do Paraná.

Esta relação de amizade com os fregueses com a família toda envolvida é considerada por Nilton como o grande diferencial do negócio. O frango, o tempero e a crocância ficam de lado quando se fala dos amigos e da família que abraçou o empreendimento. “Tenho orgulho demais e foi uma dádiva de Deus. A família envolvida e cada um ajudando no preparo, no caixa, na entrega e o produto final é o resultado para cada cliente. Estes dias, uma pessoa que mora no Pinheirinho mandou mensagem e avisou que na próxima vai pedir dois frangos no pedido, pois estava muito bom. Isto não tem preço”, completou o homem que deixou a bola na rede para colocar o frango na mesa de centenas de curitibanos.

Nilton deixou a bola na rede para colocar o frango na mesa de centenas de curitibanos. Foto: Gerson Klaina/Tribuna do Paraná.

Serviço

O Combate Assados fica na Avenida Anita Garibaldi, 4747, no bairro Barreirinha. Os telefones são 3053-3268/ 98824-4635 e 99681-9404. Os pedidos podem ser realizados para qualquer parte de Curitiba. O frango custa R$ 38 e outras carnes como costela, pernil, lombo, alcatra, linguiça e até filé de “igreja” podem ser encomendados. Porções de maionese, salpicão, risoto, arroz, batata frita, polenta e até doces também estão no cardápio.