Moradores de Curitiba e região metropolitana que precisavam agendar consultas e exames no Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) na manhã desta terça-feira (5) voltaram para casa sem conseguir acesso ao serviço. O motivo é uma paralisação que, segundo o sindicato que representa os trabalhadores em instituições federais no Paraná, o Sinditest, fez cerca de 1,5 mil servidores cruzarem os braços. O hospital não confirmou o número, mas até o meio-dia ainda não havia passados dados próprios sobre o impacto da paralisação que continua ao longo desta terça-feira.

Até o fim da manhã, não havia confirmação de atendimentos médicos impactados pela paralisação, que envolve funcionários da Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar) e da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) em um ato contra a Reforma da Previdência, principal tema em debate na Câmara dos Deputados nesta semana.

Com equipes de trabalho reduzidas, o HC concentrou atendimentos em pacientes vindos do interior do Paraná. Por isso, muitos moradores de Curitiba e da RMC que foram ao hospital de manhã para agendar consultas e exames voltaram para casa sem atendimento.

Foi o caso de Margarete Torres, de 44. Ela tentava agendar exames para a mãe, que vai ser submetida a uma cirurgia de cataratas. Os exames que ela pretendia agendar nesta terça são obrigatórios para o procedimento. “A gente que é nova vem aqui e volta. Mas é uma mulher idosa. Como faz?”, questionou a mulher.

Único dia

Um dos funcionários do setor de agendamento do HC comentou que, dos 18 trabalhadores, apenas quatro compareceram para o expediente. No entanto, ela garantiu que a paralisação é só nesta terça.

Ademar Bellinatto, de 54, veio de Assis Chateaubriand, a cerca de 700 km da capital. Ele contou ter pego um ônibus às 19h10 e viajou dez horas até chegar em Curitiba. O filho tinha exames marcados no setor de endocrinologia e foi atendido normalmente. Mas mesmo assim, o homem, que está desempregado, teme que o filho não seja atendido na consulta marcada para esta quarta-feira. “Imagina viajar 700 km, chegar aqui e não ter consulta. Agora estou só no aguardo”, relatou.

Ato

Parte dos servidores que não foi trabalhou nesta terça se reuniu em ato na Praça 19 de Dezembro, no Centro de Curitiba entre as 9h e as 11h. A mobilização interrompeu por alguns minutos o tráfego entre as ruas Cândido de Abreu e Inácio Lustosa.

Apesar da paralisação temporária desta terça, que reuniu funcionários do HC, técnicos e técnicas com vínculo com a Reitoria da UFPR continuam em greve desde o mês passado, o que afeta serviços como os prestados em bibliotecas. Assembleia nesta quarta (6), às 9h30, vai avaliar a continuidade da paralisação.