Depois de quase 100 dias de internamento, tiveram alta na segunda-feira (29) os gêmeos da mãe paranaense que deu à luz após 123 dias de morte cerebral, no dia 19 de fevereiro. De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital Nossa Senhora do Rocio, onde os bebês nasceram e passaram os últimos meses, a liberação dos pequenos foi feita sem aviso prévio para a família.

“A família não foi avisada que os bebês receberiam alta ontem, foi uma surpresa e eles ficaram muito felizes. Ainda assim foi uma alta discreta”, explica Marili do Socorro Alves, funcionária do hospital. Agora, os bebês estão na casa da avó Ângela Silva, em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Eles também recebem os cuidados do pai, Muriel Padilha.

A mulher de Muriel, Frankielen da Silva Zampoli, tinha 21 anos quando, em outubro do ano passado, teve morte cerebral constatada após sofrer um aneurisma cerebral. Como a jovem estava grávida de gêmeos, a equipe médica decidiu manter o corpo dela funcionando para salvar a vida dos bebês. As crianças nasceram prematuras, aos sete meses, 123 dias depois do óbito da mãe.

Em entrevista à RPC, Ângela Silva, avó dos gêmeos, contou estar emocionada em ter os pequenos em sua casa. “É como se eu estivesse sendo mãe de novo. Quero fazer o possível para ser com eles como a minha filha seria”, disse. De acordo com a avó, ambos os bebês estão saudáveis. O menino, Asaph, pesa 3,4 quilos e é agitado e sorri com frequência. Enquanto isso, a menina, Ana Vitória, pesa 3,1 quilos e é mais calma.

Na casa de Ângela, o quarto das crianças foi todo montado e decorado com doações vindas de todo o Brasil. Itens como carrinho, berço, bebê conforto, roupas, fraldas e até mesmo o guarda-roupas foram recebidos pela família, que chegou a organizar um chá de bebê comunitário em fevereiro deste ano.