Uma organização criminosa suspeita de aplicar golpe do falso empréstimo pode ter causado o prejuízo de mais de R$ 30 milhões. A quadrilha é alvo da Polícia Civil do Paraná, que cumpre mandados em Curitiba, Araucária e Fazenda Rio Grande. Há vítimas em todo o Brasil.

+Leia mais! Obra da barragem do Miringuava não avança por excesso de chuvas, diz Sanepar

Mais de 250 policiais civis têm a missão de cumprir 108 mandados judiciais. São 50 de prisão temporária e 58 de busca e apreensão. A ação conta com o apoio da Polícia Científica do Paraná e da Polícia Civil do Estado de São Paulo para o cumprimento dos mandados.

Além do Paraná, a ação policial ocorre no estado de São Paulo, na capital paulista, Santo André, Getulina, Mirandópolis, Ribeirão Preto, Campinas e Praia Grande.

+Atenção! Olha o golpe! Bandidos inventam multa da Copel pra enrolar consumidores

A PCPR ainda está cumprindo ordem judicial para o bloqueio de R$ 30 milhões de reais das contas bancárias dos investigados. Os suspeitos poderão responder por estelionato, lavagem de dinheiro, organização criminosa e falsificação de documento público e particular.

+Vacinação! Por limitação e “escolha de imunizante”, Curitiba vacina apenas 41 e 42 anos, e caminhoneiros nesta quarta

O crime!

Segundo as investigações, a organização criminosa elaborava páginas na internet para atrair vítimas interessadas em empréstimos bancários. As vítimas preenchiam dados e, em seguida, os estelionatários entravam em contato se passando por funcionários do banco.

Durante a ligação, exigiam um depósito prévio para liberação do dinheiro, em seguida eram induzidas a fazer sucessivos depósitos, até que se davam conta de que se tratava de um golpe.