A compra pela internet virou opção segura em tempos de pandemia. Nem sempre! Claro que existem empresas de confiança, mas tem muitos “picaretas” em ação. Nesta quinta-feira (10), a Polícia Civil do Paraná (PCPR) cumpriu um mandado de prisão e sete de busca e apreensão contra uma associação criminosa responsável por aplicar golpes na internet, com a venda de produtos que não eram entregues. Estima-se que pelo menos 700 pessoas foram vítimas em diversos estados brasileiros, e que o prejuízo gerado seja superior a R$ 1 milhão. No fim da manhã, um homem foi preso em Curitiba. 

VIU ESSA? Pandemia aumenta abandono e maus-tratos de animais em Curitiba e região

Os mandados foram cumpridos simultaneamente nos municípios de Curitiba, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba e São João do Ivaí, na região Norte do Paraná. A PCPR ainda cumpriu o bloqueio de sete contas bancárias. Durante as buscas também foram apreendidas diversas máquinas de procedimentos estéticos avaliadas em R$ 500 mil.    

Segundo a Polícia, os indivíduos ofereciam produtos eletrônicos em um site de e-commerce. Após realizarem as compras, os clientes ludibriados não recebiam os produtos. A empresa responsável pelo site ressarciu as vítimas, o que gerou um prejuízo de R$ 1 milhão para a instituição.

LEIA TAMBÉM Tá perto de se vacinar contra a covid-19? Confira o cronograma da RMC e Litoral

A estimativa dos investigadores é a de que pelo menos 700 pessoas foram vítimas em diversos estados brasileiros. O nome do site não foi divulgado.