Oportunistas estão aproveitando a fragilidade das pessoas diante da pandemia para praticar golpes. A empresa de planos de saúde Unimed Curitiba recebeu nos últimos dias reclamações de duas situações aplicadas aos seus beneficiários, na tentativa de lucrar com a confirmação de casos e até mortes com o novo coronavírus.

LEIA AINDA – Vacinação de idosos contra a gripe contará com drive thru em Curitiba

Em nota, a empresa relata como funcionava a arapuca. No primeiro caso, as pessoas receberam telefonemas com DDD 17, informando sobre a comercialização de um produto que aumentaria a imunidade e diminuiria a chance de ser infectado pelo Covid-19. Uma vitamina D com outros polivitamínicos no valor de R$ 45,90 com a indicação da Dr. ª Fernanda, da empresa Unimed Lablife. No entanto, a Unimed não comercializa medicamentos e até o momento não existe tratamento específico para o coronavírus.

No segundo golpe, um homem identificado como João Carlos Henriques faz-se passar por gestor de Recursos Humanos da Unimed e envia uma falsa mensagem relatando que a pessoa procurada foi selecionada para a próxima etapa de um processo seletivo. Ainda na mensagem, o autor informa que o candidato fará uma prova de conhecimentos na sede da rua Itupava, no bairro Juvevê, e que para ativar o cadastro, a pessoa precisa pagar R$ 48 para ter acesso aos materiais e treinamento. 

LEIA MAIS – Hidroxicloroquina, o remédio que promete tratar doentes com Covid-19

Sobre este caso, a empresa comunica que João Carlos não é gestor da cooperativa e nem faz parte do quadro de colaboradores. Além disto, a Unimed Curitiba afirma que não realiza etapas de processos seletivos nas unidades de atendimentos aos clientes e nem cobra qualquer tipo de taxa, conforme informa a nota divulgada pela Unimes Curitiba ao clientes, por meio de seu aplicativo próprio.

Veja a nota divulgada pela Unimed Curitiba