Pela primeira vez, o governo do Paraná foi condenado a indenizar um professor agredido por policiais militares na manifestação de 29 de abril de 2015, em frente à Assembleia Legislativa. Segundo a APP-Sindicato, que representa a categoria, o 15.º Juizado Espacial da Fazenda Pública de Curitiba determinou que o governo indenize o professor Arnaldo dos Santos por danos morais e materiais.

A decisão é de 11 de julho, mas só foi divulgada agora. A sentença foi assinada pela juíza Letícia de Paula Eduardo Bonatto. A APP informa que há outras ações iguais correndo na Justiça. De acordo com o secretário para Assuntos Jurídicos da APP, Mario Sérgio Ferreira, “a condenação é para que o Estado veja que não se pode agir quando a população se manifesta, com essa violência”.

A repressão da PM no dia 29 de abril deixou 213 feridos. A polícia atacou depois que manifestantes tentaram entrar na Assembleia Legislativa. Desde o primeiro momento ficou evidente que a reação policial foi desmedida. Durante horas, bombas de gás e balas de borracha foram disparadas contra a multidão.

Arnaldo dos Santos ficou ferido na ocasião e precisou de atendimento no Hospital Cajuru. Ficou afastado do trabalho por cinco dias.

O governo do estado foi procurado para que se manifeste sobre a decisão.