Já imaginou entrar em um ônibus, sentar e perceber que ele está trafegando sem motorista? Essa tecnologia está contida em um sistema capaz de captar todos os detalhes ao redor do veículo que está sendo testado por uma empresa de transporte coletivo na Região Metropolitana de Curitiba.

Um ônibus já opera de forma autônoma na China desde 2018. Entretanto, como a legislação brasileira não permite veículos sem condutores, o sistema autônomo não foi testado sem motorista aqui. Foram testadas apenas as funcionalidades que facilitam a vida do motorista, como um alerta de que ele está cansado. O sistema é da empresa VIA Technologies, de Taiwan.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

A VIA Technologies confirmou à Gazeta do Povo que o sistema VIA Mobile 360 ADAS foi testado durante duas semanas em uma empresa do transporte coletivo da Região Metropolitana de Curitiba, mas sempre com um condutor ao volante. A companhia, porém, não informou qual foi a viação e nem em qual cidade foi feita a experiência.

Apesar da confirmação por parte da empresa de Taiwan do teste na região da capital, tanto a prefeitura de Curitiba, quanto o sindicato das empresas de transporte de Curitiba e região metropolitana (Setransp) e a Associação Metrocard enfatizam que não tem ligação com a ação, o que é confirmado pela VIA Technologies.

“A Urbs, empresa municipal que gerencia o transporte coletivo da capital, afirma que não tem conhecimento de nenhum teste como este realizado na região de Curitiba, nem teve contato algum com a empresa citada”, aponta nota enviada pela prefeitura. “Nenhuma das associadas ao Setransp e à Associação Metrocard, que reúne 18 empresas de transporte da região metropolitana de Curitiba, relatou qualquer teste nesse sentido”, diz nota do Setransp.

Além do Brasil, o sistema também está sendo testado em dois países da América Latina: Colômbia e Peru. “A tecnologia VIA Mobile 360 ADAS foi testada com êxito em algumas empresas do segmento de transporte público brasileiro, mas não com o objetivo de adotar ônibus completamente autônomos”, enfatiza empresa em nota.

Sistema autônomo

Acompanhado por uma central, o sistema autônomo é capaz de tomar decisões baseadas em dados que colhe no decorrer do trajeto. “Se a faixa em que o veículo circula tiver algum tipo de interferência, por exemplo, o sensor dianteiro identifica e corrige a rota do veículo”, relata o diretor da empresa.

Em casos de acidentes ou imprevistos no trânsito, o sistema calcula rapidamente diferentes rotas ou opções – como parar o veículo – e escolhe a que causa menor impacto. Além de controlar o próprio veículo, o sistema também é capaz de identificar o número de passageiros dentro do ônibus. “Quando o número de passageiros no veículo excede, o sistema faz um pedido à central para aumentar a frota de ônibus de determinada linha”, aponta o diretor da VIA Technologies.

Junto com as câmeras externas, sensores acoplados ao volante identificam o estado emocional do motorista. “Se caso o condutor estiver com sono ou irritado, o sistema emite um alerta para a central, que assume o controle da direção”, conta Resende. E, para segurança dos passageiros, o veículo tem uma tela no seu interior que mostra em tempo real dados de localização, trajeto, paradas e velocidade do ônibus.

Vídeo

Confira o vídeo de um ônibus que circula na China desde 2018.

Posicionamento

Os representantes das empresas do transporte coletivo da Grande Curitiba emitiram nota em que negam os testes.

Confira o texto na íntegra:

O Setransp (Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana) e a Associação Metrocard, que reúne 18 empresas de transporte da Região Metropolitana de Curitiba, vem a público para negar testes da Via Technologies – ou qualquer outra empresa – com sistema autônomo de condução de veículo (ou seja, sem a presença de motorista) em operadora de transporte coletivo de Curitiba ou Região Metropolitana. Nenhuma das associadas às entidades relatou qualquer teste nesse sentido.

A Prefeitura de Curitiba também se manifestou em relação ao suposto teste. Em seu Facebook, classificou a notícia como Fake News. No texto, fica claro que o experimento não foi feito pela administração municipal.

https://www.facebook.com/PrefsCuritiba/photos/a.516441535066322/2411882068855583/?type=3&theater

* O conteúdo dessa reportagem foi atualizado.

Árvore cai sobre carro em Curitiba e fecha rua do Bacacheri