O prefeito da capital, Rafael Greca (DEM), cobrou a criação de mais leitos de UTI para covid-19 nos municípios vizinhos da região metropolitana de Curitiba (RMC). A ideia foi levada por Greca na reunião por videoconferência com os prefeitos da RMC e o secretário estadual da Casa Civil, Guto Silva, segunda-feira (6). Na reunião, os prefeitos das 29 cidades da RMC traçaram um plano conjunto para barrar o avanço do coronavírus.

Em sua fala, o prefeito de Curitiba afirmou que a criação de mais vagas de UTI nas cidades vizinhas diminuiria o impacto no sistema de saúde da capital.

LEIA MAIS – Paraná não aumenta número de leitos de UTI, entenda por quê!

“Defendi a abertura de mais leitos do SUS para covid-19 em hospitais da região. Temos capacidade para mais e não vamos deixar ninguém de fora, mas precisamos de apoio com equipamentos como monitores ou da ampliação de leitos também em hospitais de Araucária, Campina Grande do Sul, São José dos Pinhais, até para não estrangular outras condições que também precisam de internamento”, postou Greca em sua conta pessoal no Facebook.

De acordo com o boletim epidemiológico de terça-feira (7), Curitiba está com ocupação de 87% em suas UTIs, utilizando 588 leitos.

Os hospitais de referência para o tratamento do novo coronavírus na grande Curitiba estão em São José dos Pinhais, Campina Grande do Sul e Campo Largo. No entanto, estes centros de atendimento também estão sofrendo com a lotação. No Hospital do Rocio, em Campo Largo, só havia uma vaga de UTI na manhã desta quarta-feira. Das 103 UTIs, 102 já estavam preenchidas, ou seja, 99% de ocupação. Já no Hospital Municipal em São José dos Pinhais, a ocupação era 90% de leitos de UTI na manhã desta quarta.

Para buscar este equilíbrio neste momento de pandemia foi criado um pacto entre os 29 municípios da região metropolitana e Curitiba, que alinha as condutas de prevenção e controle para o novo coronavírus. “Não estamos aqui para decidir politicamente, estamos unidos pela vida e logo estaremos num pacto pela retomada da economia, do emprego, do comércio. A pandemia fez com que nos aproximássemos”, aponta o prefeito de Campo Largo, Marcelo Puppi.

Ônibus de Curitiba na RMC

Uma das formas de também prevenir o contágio da doença é evitar aglomeração no transporte público, algo que os usuários reclamam diariamente e que provoca medo de contágio entre os passageiros.

VIU ESSA? – De saúde boa à UTI em horas. Agressividade da covid-19 preocupa em Curitiba

Para tentar aliviar a situação na RMC, Greca ofereceu 50 ônibus da capital para que sejam utilizados por outros municípios. “Temos até mais veículos caso seja necessário. Se a Comec conseguir motoristas e cobradores, podemos colocar à disposição”, completou Greca.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?